segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Grupos pequenos e o discipulado cristão - 2a parte


Graça e Paz!

Daremos continuidade ao estudo sobre a importância dos grupos pequenos para que haja um discipulado eficaz, mais quatro razões então para que tenhamos como primordial um trabalho de grupos pequenos (ou células, koinonias, etc) que efetivamente foque no crescimento do discípulo.

VANTAGENS DE UMA ESTRUTURA DE GRUPOS PEQUENOS (adaptado - 2a parte)

5- ELA PODE CRESCER AO SE MULTIPLICAR - Um grupo pequeno só é eficiente enquanto for pequeno, mas pode facilmente reproduzir-se. Sendo assim, o discípulo de Jesus tem oportunidades sem igual de, ser acrescentado em experiências pela inclusão de novas pessoas no grupo, ou, de contribuir na própria liderança do grupo haja visto que o pequeno grupo é um lugar excelente para o exercício dos dons dentre eles o pastoreio, a liderança, o ensino, etc.

6- ELA PODE SE TORNAR UM MEIO EFICIENTE DE EVANGELISMO - Cremos firmemente que o grupo pequeno é o melhor ambiente nas grandes metrópoles em que o pecador pode ouvir a voz convincente do Espírito Santo e converter-se a Jesus Cristo. O testemunho livre e autêntico de pessoas convertidas a Cristo num ambiente de informalidade e acolhimento produzirá seus salutares efeitos. Têm aí o discípulo uma oportunidade ímpar de testemunhar de sua fé e de sua nova vida em Cristo Jesus.

7- ELA REQUER UM MÍNIMO DE LIDERANÇA PROFISSIONAL - Necessária se faz uma liderança competente no trabalho de pequenos grupos. A experiência demonstra que tais líderes podem e devem ser desenvolvidos na própria igreja local por um ou dois grupos iniciais chave. E que também haja um sistema de treinamento contínuo das novas lideranças que naturalmente surgirão. Neste quesito o discipulado para a liderança é fundamental. Por liderança profissional queremos entender o treinamento dado em seminários ou faculdades teológicas. São extremamente importantes, endossamos a formação teológica de nível superior, mas cremos que verdadeiros líderes emergem da igreja local sem necessariamente primeiro terem de ir para a vida acadêmica.

8- ELA É ADAPTÁVEL À IGREJA INSTITUCIONAL - Finalmente, o trabalho de grupos pequenos não precisa desprezar a estrutura de uma igreja institucional. Os grupos pequenos podem ser introduzidos nela sem abandonar ou minar a igreja. O que desejamos enfatizar neste ítem é o que já frisamos: nos pequenos grupos ou células o discipulado pode ser melhor desenvolvido; os discípulos de Cristo, quer sejam novos na fé ou com mais quilometragem na caminhada, podem usufruir em conjunto das benesses da mutualidade dos dons e o melhor espaço para isso é numa ambiência de informalidade e abertura onde todos podem ministrar e ser ministrados.

Concluindo, como ressaltado na primeira parte, o ideal é que se pense no discipulado em termos de um ministrando a outro, ou seja, na base do um-a-um. O pequeno grupo favorece enormemente a entrada para isso, pois deverá existir ali idealmente a informalidade, a transparência e principalmente o interesse mútuo temperado pelo amor. A igreja de Cristo deve cuidar das pessoas, umas cuidando das outras, discípulo ministrando a outro discípulo, líderes neófitos ministrados por líderes amadurecidos a fim de que se cumpra o ideal de Efésios 4.16: "Do qual todo o corpo, bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, faz o aumento do corpo, para sua edificação em amor."

Que Deus possa abençoar você, seu comentário é bem vindo, participe!

sábado, 29 de agosto de 2009

Grupos pequenos e o discipulado cristão - 1a parte


O discipulado é sumamente necessário para o crescimento saudável do cristão. Gostaríamos de listar neste post algumas vantagens de uma estrutura de grupos pequenos para que o discipulado ocorra de forma adequada.

VANTAGENS DE UMA ESTRUTURA DE GRUPOS PEQUENOS (adaptado - 1a parte)

1- ELA É FLEXÍVEL - Como o grupo é pequeno, ele pode facilmente mudar seus procedimentos ou funções para poder atingir seus objetivos. O ritmo, o tempo, a frequência e duração das reuniões podem ser modificados. Para um processo discipulatório isto é fundamental, a flexibilização.
2- ELA É MÓVEL - Um grupo pequeno pode se encontrar numa casa, num escritório, numa loja ou em qualquer outro lugar. Pode ir também ao encontro das pessoas, não depende de persuadir pessoas a entrarem em ambiente desconhecido pois o encontro é, prioritariamente, informal, o que para o processo discipulatório deve ser altamente recomendável.
3- ELA É INCLUSIVA - Um grupo pequeno pode mostrar uma abertura cativante a todos os tipos de pessoas. Jesus ordenou que todos nós fizéssemos discípulos de todas as nações, de todas as gentes e isto por si só já demonstra a inclusividade de qualquer pessoa que queira aprender aos pés de Cristo e crescer em sua fé.
4- ELA É PESSOAL - A comunicação cristã sofre muito pela impessoalidade. Muitas vezes é tão polida, tão profissional, e por isso mesmo tão impessoal. Todavia, em um grupo pequeno uma pessoa se encontra com outra pessoa; a comunicação se dá a nível pessoal. O discipulado não poderá prescindir deste fator tão importante e prioritário, a comunicação pessoal. Jesus esteve pessoalmente com os doze por três anos, uma vivência diária e constante. Devemos buscar de todas as maneiras o convívio com nossos irmãos pois a mutualidade entre os membros do Corpo de Cristo é amplamente estimulada no NT (veja 1 Co 12).

Queremos ressaltar todavia, que o discipulado um a um é o que buscamos no âmbito da igreja cristã. Cremos que o ideal é que cada cristão mais amadurecido seja um discipulador em potencial de outro cristão que inicia na maravilhosa e gloriosa jornada da vida cristã. O grupo pequeno favorecerá no sentido do ambiente mais acolhedor e informal. Daremos continuidade em mais quatro vantagens dos grupos pequenos em outroa post. Até lá e que o Senhor faça de sua vida querido (a) irmão (ã) um manancial de bençãos para outras pessoas, quer sejam cristãs ou não.

domingo, 23 de agosto de 2009

Seja o pastor que Deus quer que seja

Incomparável para todos nós que seguimos a Jesus Cristo é o fato de que Ele é o nosso Supremo e Único Pastor (1Pe 2.25). Ele nos guia a águas de descanso e a pastos verdejantes. Confiamos inteiramente em Sua direção para nossas vidas. E Ele tem determinado que hajam entre nós aqueles que, como Ele, cuidam e alimentam Suas ovelhas, sendo estes mesmos ovelhas que estão inteiramente submissas ao cajado de seu Supremo Pastor. Idealmente, estes que somente Ele chama e comissiona, devem seguir o exemplo d'Aquele que tão amorosamente os têm conduzido a eles próprios. Mas quantas vezes, infelizmente, estes co-pastores tem falhado na condução do rebanho de Cristo pois o conduzem como se eles mesmos fossem o Pastor! Assim, o rebanho sofre porque não são e nunca serão pastores segundo o coração de Deus, pastores que não se submetem, eles mesmos, à direção divina como deve ser. Sendo assim, as ovelhas podem se desnortear. Podem andar cansadas e desgarradas, como ovelhas que não têm pastor, como disse o próprio Jesus (Mt 9.36). A Bílbia diz em Zacarias 11.16 que o pastor inútil é aquele que não visita as ovelhas que estão perecendo, não busca a desgarrada, não sara a doente, nem apascenta a sã e diz no verso 17: " Ai do pastor inútil que abandona o rebanho!" Infelizmente, hoje têm surgido aqui e ali, pastores com este perfil. Não visitam, não cuidam, não buscam, fazem um "pastoreio" de longe, não chegam-se perto da ovelha, quando chegam conversam superficialmente, não aprofundam-se na vida daquele discípulo de Cristo. É necessário que sejam pastores e não administradores de complexos eclesiásticos. Palavra fiel é esta: "Procura conhecer o estado das tuas ovelhas; põe o teu coração sobre os teus rebanhos" (Pv 27.23). Se você, que lê esta reflexão e não está de acordo com esta palavra, arrepende-te e leia ainda Ezequiel capítulo 34. Somos discípulos de Jesus, Ele, somente Ele é o Supremo Pastor e Bispo de nossas almas como disse o apóstolo Pedro, mas Ele tem chamado homens para que sejam pastores como Ele mesmo falou a Pedro em João 21.15-18 ao chamá-lo para o pastorado. O Senhor fala pelo profeta Jeremias assim: "Dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com conhecimento e com inteligência" (3.15). Hoje, mais do que antes precisamos ser pastores assim. Minha oração é para que Deus levante hoje mais e mais pastores conforme o perfil que Ele mesmo traçou em Sua Palavra (Ef 4.11-16; 1Tm 3.1-7; Tt 1.5-9). Seja você o pastor que Deus quer que seja. Que Deus te abençoe!

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Solidariedade, nossa missão

Não consigo deixar de pensar em como sofrem os cristãos e as demais pessoas em países como Sudão, Coréia do Norte e Cuba. Cito estes três exemplos de países (há muitos outros!) onde a perseguição aos cristãos e o sofrimento do povo correm juntos. A nossa solidariedade deve consistir em identificar-nos com os nossos irmãos nestes lugares, imaginando como deve ser a vida deles em regime de opressão contínua. No Sudão predomina a fome e a pobreza extremas, com vários campos de refugiados e uma matança contínua promovida por grupos islâmicos. Na Coréia do Norte, sofre o povo sob o regime totalitário de um governo comunista opressor e em Cuba, apesar de o conhecido e até admirado por alguns, Fidel Castro ter se afastado do comando do país por motivo de saúde, ainda não há liberdade de crença de forma que os cristãos continuam a sofrer toda série de privações. O discípulo de Jesus caracteriza-se por sua solidariedade, quer seja de forma concreta, quer seja à distância como nos encontramos destes países citados, neste caso, orando por eles e procurando saber como estão através de sites como você pode ver aqui mesmo neste blog da Missão Portas Abertas. Portanto, convido você amado de Jesus a estabelecer períodos de oração por países que sofrem sob regimes opressores (Irã, China, por exemplo) e pelos discípulos de Cristo que ali vivem. Esta é a nossa solidariedade. Este deve ser nosso compromisso. Que o Senhor Jesus Cristo abençoe ricamente sua vida!

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Ser discípulo de Jesus apesar de mim mesmo!

Ser discípulo de Jesus é caminhar contra a cultura deste mundo que nos rodeia, que não sossega enquanto não fizer Cristo conhecido a outro semelhante e que promulga onde estiver os eternos oráculos de Deus mesmo que sofra com isso. Convido você a trilhar talvez, velhos caminhos mas que efetivamente constituem-se em caminhos seguros haja vista a antiguidade e eternidade do Caminho (Jo 14.6). Portanto, em tudo, queremos pensar como Jesus pensaria, olhar como Jesus olharia, falar como Ele falaria e fazer como Ele faria. Nesta caminhada cristã, há momentos em que estaremos no alto de uma montanha contemplando a linda paisagem que se descortina diante de nós, como Moisés no cume do monte Nebo a contemplar a Terra Prometida. Porém, haverão momentos outros em que estaremos no fundo do vale ou na caverna como Elias. Importante é considerar que o Senhor está conosco em todos estes momentos! Se eu olhar para mim mesmo semelhantemente a Pedro que olhou para o força do vento e agitação do mar e começou a afundar, de fato não permanecerei. A Palavra ainda diz para mim e para você: "Olhando para Jesus, Autor e Consumador da fé" (Hb 12.2a). Não faças nada sem Jesus, pois Ele mesmo disse que sem Ele nada poderíamos fazer. Sua capacidade é nada comparada com o poder de Deus para sustentá-lo. Creia nisso e continue a seguir a Jesus. Amém!

Fortalecendo-nos uns aos outros no discipulado

Quanto mais se aproxima o retorno de Cristo, devemos nos aproximar uns dos outros. Deus deseja que vivamos em unidade. Certamente você já ouviu esta expressão muitas vezes. Mas, é necessária de nossa parte a disposição de vivermos próximos. A camaradagem no Corpo de Cristo é algo muito belo e testemunha fortemente para o mundo acerca de nossa salvação em Jesus. Paulo disse em 1 Ts 5.11 "Por isso exortai-vos uns aos outros, e edificai-vos uns aos outros, como também o fazeis" e ainda em 4.11: "Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras." Jesus disse também que esta unidade pressupunha que haveria amor pois Ele disse: " Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." O discipulado proporciona a efetividade dessa realidade cristã: unidade e amor. Gostaria de sugerir a você amado discípulo de Cristo que não deixe de procurar a um irmão por diferenças que muitas vezes são mesquinhas. É necessária a devida humildade para aceitarmos aqueles que pensam diferente de nós. No discipulado autêntico vivido por discípulos autênticos, Deus, por meio de Seu Santo Espírito pode operar maravilhosamente para que nos fortaleçamos mutuamente. Que você com a graça de Deus possa vivenciar isto em sua comunidade cristã. Que Jesus te abençoe muitíssimo!

sábado, 15 de agosto de 2009

O discípulo deve conhecer as doutrinas bíblicas

A cristandade em muitos lugares hoje tristemente tem considerado coisa de somenos importância o estudo bíblico doutrinário. É inconcebível que um crente em Jesus não conheça ou conheça muito pouco os fundamentos de sua fé. A Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada é este incomparável compêndio de 66 livros onde está plenamente registrada a revelação de Deus. Urge que conheçamos como ninguém este grande Livro santo. Os judeus, não sem razão, são conhecidos como o povo do livro exatamente pelo grande apreço que tem pela Torah, ou seja, o Antigo Testamento. E porque nós, discípulos de Jesus Cristo, que recebemos esta fé preciosa, completa, sem igual, naufragamos no tocante ao conhecimento doutrinário? Acredito piamente que precisamos repensar sobre o que estamos ensinando aos nossos irmãos em nossas igrejas - é realmente a Palavra de Deus em seu bojo doutrinário ou estamos falando, falando e na verdade não estamos falando o que Deus quer que falemos - a Sua insubstituível Palavra. Muitos tem procurado falar sobre vários assuntos ou preenchendo o horário todo de nossas reuniões com cãnticos sem fim ou atividades outras que não sejam a pregação e o ensino da Bíblia. Confira agora se em sua igreja o pastor tem ensinado ou pregado sobre estas doutrinas: 1) Bibliologia (tópicos como a inspiração, canonicidade, genuinidade e credibilidade das Escrituras); 2) Teologia (teologia propriamente dita, ou seja, a doutrina de Deus: sua natureza, atributos, seus decretos, suas obras, seu governo soberano, o trino Deus); 3) Angelologia (anjos, sua origem, natureza, queda, classificação, obra e destino dos anjos) 4) Antropologia (origem e caráter do homem, sua unidade e constituição, sua queda); 5) Soteriologia (salvação: provisão, propósito, plano e método de Deus, eleição e vocação, conversão, justificação e regeneração, união com Cristo e adoção); 6) Cristologia (a pessoa de Cristo, seu estado pré-encarnado, sua humilhação, o caráter e a natureza dual de Cristo, sua morte: importância, significado e extensão, sua ressurreição e ascensão); 7) Eclesiologia (definição e fundação da Igreja, as ordenanças da Igreja, missão e destino da Igreja) 8) Escatologia (a segunda vinda de Jesus e o arrebatamento da Igreja, a grande tribulação, o milênio, a condenação de Satanás e dos ímpios, o eterno e perfeito estado). Irmãos, estas doutrinas são, em linhas gerais, o que devemos aprender de nossos líderes em nossas igrejas. é lamentável ter de dizer isso, mas há um grande analfabetismo bíblico entre muitos crentes. Consequência lamentável da ausência de ensino bíblico-doutrinário. Procure estudar sua Bíblia mais a fundo, vale a pena você fazer isso. Ore para que hajam mais líderes e igrejas amantes do estudo e do ensino doutrinários. Tudo isso redundará em glória maior para Deus e crescimento saudável do cristão e resultará em avanço do Evangelho. O sábio rei Salomão foi quem disse "Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento" e ainda "A sabedoria é a coisa principal; adquire pois a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição do entendimento" (Pv 3.13; 4.7). Que Deus abençoe você no empenho de buscar mais d'Ele e em aprender mais de Sua Palavra pois o seu crescimento e enraizamento na fé dependem disto: oração e leitura e meditação nas Escrituras, portanto estude a Bíblia!            

Crescer na fé mediante o discipulado

Não somos impecáveis (1 Jo 1.7-10) porque se assim fosse não haveria como Deus manifestar Sua glória em nós no fato de que Ele nos ajuda a viver em santidade. Se ao aceitar a Jesus, automaticamente fossemos colocados em uma posição de impecabilidade, não poderámos usufruir do incomparável amor de Deus que é demonstrado exatamente nesta condição de fraqueza (por causa do pecado) do qual todos somos partícipes. Precisamos crescer em santidade, precisamos crescer no conhecimento do Altíssimo, Ele almeja que O conheçamos cada dia. O discipulado é, por assim dizer, a ferramenta por excelência que Deus dispõe para Seus filhos a fim de que cresçam na fé em Jesus Cristo. O Espírito Santo muito tem a nos ensinar (Jo 14.26) e este aprendizado é coroado de eficácia ímpar quando atendemos à ordem para que nos submetamos ao processo discipulatório. Veja, Jesus escolheu doze que andaram com Ele em todo o tempo de Seu glorioso ministério e estes aprendiam dia-a-dia. As construções religiosas dos homens, no que tange à fé cristã, muitas vezes não tem honrado ao Senhor da Igreja pois que doutrinas e ordenamentos humanos são muitas vezes colocados em lugar do autêntico discipulado cristão. Por isso, Deus convoca você, apela a você para que reconheça o que Ele, pelo Seu Espírito já ordenou na Bíblia Sagrada para que estejamos vivendo a vida abundante que Ele prometeu para que o seu crescimento na fé não fique estagnado. Não despreze o discipulado, submeta-se a Cristo e aos irmãos e você saberá o que é a verdadeira vida cristã que nada tem a ver com a religiosidade cristã. Que Deus te abençoe muitíssimo!    

sábado, 8 de agosto de 2009

Como o Senhor olha para mim?

O Senhor olha para mim com amor. Essa é a característica principal de Seu olhar, o amor. Não olha para mim para me condenar, não olha para mim para censuras e repreensões, é claro que o Senhor repreende e corrige a quem ama (Hb 12.5,6) pois somos seus filhos e o escritor aos Hebreus fala ainda  que, por ser Pai, Deus precisa corrigir-nos para sermos participantes de Sua santidade (vs. 10). Assim, podemos descansar no olhar do Senhor sobre nós, pois o zelo de Deus por Seus filhos é algo notório. Você quer algumas provas? Pense em Seu povo no deserto (Dt 8.15,16), pense no cuidado com que o Senhor conduziu Seu povo pois o deserto era árido, tinha muitos animais venenosos, não havia água e nem comida. Mas Ele providenciou isto tudo e neste mesmo capítulo de Deuteronômio no versículo 4 Moisés fala para aquela nova geração de israelitas nascidos no deserto que o Senhor não deixou que as roupas dos israelitas envelhecessem e nem tiveram os pés inchados que naturalmente ocorreria pelas longas caminhadas a que estavam sujeitos. Portanto, se Deus cuidou assim de Seu povo de maneira tão incrível e amorosa será que Ele, ao olhar para ti, não teria misericórdia de ti? Sabe, caminhar com o Senhor é maravilhoso pois nós vemos e percebemos Sua direção e cuidado. Jesus não deixou de cuidar daqueles que Ele chamara para o apostolado, estava cuidando e ensinando a cada um para que entendessem como Ele os amava e como deveríamos nos amar também mutuamente (Jo 13.34). Minha mensagem para você, amado discípulo de Jesus Cristo é para que atentes sempre para o cuidado do Senhor por ti pois de igual forma deveremos cuidar uns dos outros. É triste quando ouvimos falar, vivenciamos ou nós mesmos somos protagonistas da falta de cuidado pelo nosso irmão. Deus olhou para mim, cuidou e cuida de mim. Será que estamos fazendo o mesmo com nosso irmão como Ele já nos ordenou? Que o Senhor continue a cuidar de ti e que te abençoe muitíssimo! 

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Estejamos juntos

Você já parou para pensar que o ser humano deseja companhia e, normalmente, não gosta da solidão? Nossa constituição, isto é, a maneira como fomos concebidos por Deus, faz com que isto seja realidade. Verdade é que há pessoas  que aspiram viver solitariamente, mas a Palavra de Deus diz assim: "Busca satisfazer o seu desejo aquele que se isola; ele se insurge contra toda sabedoria" (Pv 18.1). Portanto, querido seguidor de Jesus Cristo, nós, por causa de nossa condição, por causa de seguirmos as pisadas do Mestre, jamais podemos pensar em andar sós. Não é a intenção de Deus para mim e para você. No capítulo 12 de da primeira Epístola aos Coríntios, o apóstolo Paulo discorre claramente do aspecto mutual da fé cristã, ele diz que temos dons e que outros cristãos também o possuem e que para que haja a edificação do Corpo, isto é, da Igreja, devemos nos reunir e ministrar-nos mutuamente, senão vejamos o verso 25: "Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros." Esta dinâmica do  "uns aos outros" é que faz a edificação. Você acha que pode caminhar sozinho? Você pode até afirmar "ah, mas eu estou em Jesus, e isso é o que importa" será que é isso mesmo? O meu desejo é que você reveja seus conceitos quanto ao Corpo de Cristo que é a Igreja onde não só você é edificado, onde você pode dar a sua contribuição singular, exercer o seu dom, como também você é edificado, o Espírito Santo ministra à sua vida pela instrumentalidade de outros cristãos. Enfim, você discipula e é discipulado. Que a alta mão de Deus seja sobre a sua vida, Amém!        

domingo, 2 de agosto de 2009

Ele vela por nossas almas

Como é bom saber que Jesus vela por nós. Nele estamos absolutamente seguros, por mais ferozes que sejam nossos momentos de dificuldade. Pode você sentir o baque, o golpe, a decepção, a tristeza, mas certamente o Senhor, que tudo conhece, não te deixará, não te abandonará, afinal foi Ele quem disse "...eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos" (Mt 28.20b). É esse Deus então, misericordioso, justo, bondoso e zelador que cuida de você e também de mim. Neste dia gostaria de animá-lo com esta promessa do evangelho de Mateus. Permaneça nele mesmo em meio ao deserto ou na escuridão ou quando solitário, ou quando parecer que Ele não te ouve. Deus é fiel. Que Ele te abençoe muitíssimo!

sábado, 1 de agosto de 2009

O MAR SE ABRIRÁ

Medite nesta canção - e que o Senhor te abençoe muitíssimo!

Crescimento Pessoal

1- É um processo, Filipenses 2.12,13.
2- É estar amadurecendo emocionalmente, Filipenses 4.4-7; 1Pedro 5.7; Efésios 4.31,32; 5.1,2.
3- É renúncia pessoal, Marcos 8.34-38; 1 Coríntios 9.22-27; Efésios 4.20-24.
4- É renovação de mente, Romanos 12.1,2; 1 Coríntios 2.12-16.
5- É estar cheio da graça e do conhecimento de Cristo, 1Pedro 3.14-18.
6- É permanecer em Cristo, João 15.4.
7- É conhecer toda a Palavra e todo o conhecimento de Deus, Atos 20.27; Mateus 22.29.
8- É andar no Espírito, Gálatas 5.16-26.

Que a paz do Senhor seja contigo, caminhe sempre em Jesus!

Considerando a importância do discipulado

A igreja deve discipular seus membros. Isto foi ordenado pelo próprio Senhor Jesus Cristo e não podemos, os cristãos, abrir mão desta ordem sob pena de serem gerados crentes que desconhecem as bases elementares de sua fé pois o discipulado ajuda no aprofundamento da vida cristã. Igrejas há que infelizmente, após a pessoa entregar a sua vida a Jesus, determina que a mesma venha aos cultos e trabalhos e somente isto, significa uma espécie de discipulado na mente de muitos. É fato amplamente comprovado de que o caminhar sozinho do cristão sem alguém que já milita na fé cristã há algum tempo, idôneo e que possa, através de sua vivência com Jesus, ajudar o neófito no começo de sua caminhada, se não houver este cristão experimentado a mentorear o novo convertido, poderá gerar neste vários defeitos de visão da fé e de conhecimento da vida em Jesus. Por isso, é sumamente importante o trabalho de discipulado, o modelo pode variar de igreja para igreja mas, frisamos, é fundamental que haja um real cuidado com os novos cristãos para que ele possa experimentar aquilo que Paulo escreveu aos Efésios 4.13b "...à medida da estatura completa de Cristo." Que a graça e a paz de Jesus Cristo seja com você!

O Discípulo e as Bênçãos da Salvação

Das muitas, inumeráveis e abundantes reflexões que a Palavra de Deus proporciona a todos nós, discípulos de Cristo, está o que concerne...