sábado, 9 de julho de 2011

O desafio do discípulo em permanecer santo


É grande o desafio na vida de todo aquele que se posiciona ao lado de Deus, que crê no Evangelho e que anseia em agradar ao Senhor mediante uma vida santa. Porque o importante mesmo não é como começamos nossa vida com Cristo, mas sim sua continuidade e seu final. Este processo demanda a parte que Deus opera em nós, mas também a parte que nós temos que fazer, leiamos o que diz o apóstolo Paulo: "De sorte que, meus amados, assim como sempre obedecestes, não só na minha presença, mas muito mais agora na minha ausência, assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade" (Fp 2.12,13).

O discipulado é um processo de crescimento em santidade. O discipulado em Jesus continuamente nos desafia a começarmos santos, continuarmos santos e permanecer santos. O discipulado exige tal postura porque devemos ser santos como Ele é santo (1 Pe 1.16). Nada menos do que isso. Por isso torna-se um desafio diário, porque temos de lutar contra o poder de atração da terra, do mundo, os apelos da carne, as tentações de Satanás.

A Bíblia claramente nos demonstra quais são nossos reais inimigos, aqueles que conspiram contra a vida de santidade em Deus. Nossos inimigos não são pessoas de carne e osso (Ef 6.12). De forma alguma deveremos pensar assim, embora as pessoas sejam instrumentalizadas contra nós.

A carne, a nossa natureza corrompida pelo pecado, a nossa concupiscência, está bem demonstrada em Tg 1.13-15: "Ninguém sendo tentado, diga: De Deus sou tentado; porque Deus não pode ser tentado pelo mal, e a ninguém tenta. Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado e o pecado sendo consumado, gera a morte."

O mundo e seus atrativos, encontramos em 1 Jo 2.15-17: "Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre."

O diabo e suas tentações, com o detalhe de que ele instrumentaliza a carne e o mundo contra nós encontramos o exemplo clássico na tentação que Jesus Cristo sofreu no deserto da Judéia após 40 dias de jejum (Mt 4.1-11; Lc 4.1-13). Também podemos nos reportar à tentação sofrida por Eva, juntamente com Adão em Gn 3.6: "E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos; e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também ao seu marido, e ele comeu com ela."

Amado discípulo do Senhor, permanecer santo é nosso maior desafio. Estes inimigos do cristão arduamente estão a lhe acometer todos os dias objetivando sua derrocada espiritual. Não temos desculpas para não entender as abundantes advertências divinas para vigiarmos continuamente contra todos eles. Muitas vezes, há coisas em nossa vida que não chegam a constituir-se pecado. Mas podem ser um peso, um embaraço para o prosseguimento em nossa carreira santa (Hb 12.1).

Para permanecer santo, o crente conta com o inestimável auxílio do Espírito Santo. Na epístola aos Romanos no capítulo 8, o apóstolo Paulo dedica a ensinar-nos sobre esta verdade, o trabalho do Espírito em nós. Jesus mesmo disse que o Consolador viria e estaria conosco para sempre (Jo 14.16). Somente andando e vivendo em Espírito, pode o discípulo de Jesus ser vitorioso. Somente assim poderá andar em santidade.

A vida de oração do discípulo nada será se não for pelo Espírito Santo, porque é Ele quem nos auxilia a orar (Rm 8.26,27).

A vida de leitura e meditação nas Escrituras também nada será se não for potencializada pelo Espírito Santo (Jo 14.26).

Lembremo-nos igualmente da armadura que temos à nossa disposição conforme Ef 6.10-18. São uma realidade na vida de cada cristão as astutas ciladas que o Maligno coloca em seu caminho de santificação. Mas este texto demonstra que há recursos espirituais à nossa disposição. Deus não deixou-nos sozinhos neste embate, temos seu poderoso e forte auxílio.

Gostaria então de encerrar dizendo que não é uma opção ter uma vida de santidade, mas é nossa obrigação. Se não o fizermos, desonraremos Aquele que nos chamou, Aquele que nos remiu em Seu precioso sangue.

Você começou santo, continue santo, permaneça santo. Este é o desafio do discipulado. E creia no que está escrito em Fp 1.6: "Tendo por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo."

O desafio de Deus, por meio de Seu Santo Espírito é aperfeiçoar-nos cada dia mais até o dia da vinda de nosso Senhor!

O nosso desafio é corresponder nesse aperfeiçoamento, fazendo tudo o que Ele nos disser (Jo 2.5).

Aceite este desafio. Seu discipulado deve ser autêntico. Você deve ter um andar santo. Que o Senhor continue a Lhe guiar continuamente nesta árdua mas gloriosa via da santidade.

2 comentários:

Rede de Jovens Renovada disse...

quem canta esse louvor?

Observatório Teológico disse...

Qual? Se for o atual (hoje, 28/08/11) é o Daniel Souza, é só procurar no Youtube.

O Discípulo e as Bênçãos da Salvação

Das muitas, inumeráveis e abundantes reflexões que a Palavra de Deus proporciona a todos nós, discípulos de Cristo, está o que concerne...