quarta-feira, 3 de março de 2010

O discípulo e as pressões da sociedade


Seríamos considerados discípulos autênticos de Jesus Cristo se não fõssemos absolutamente pressionados de alguma forma?

O apóstolo Paulo disse que os querem seguir piamente a Cristo Jesus padeceriam perseguições (2 Tm 3.12). Logo, perseguições, afrontas, desfeitas, zombarias, pressões de toda sorte, são parte integrante da vida do crente em Jesus. Se sou um autêntico cristão, serei de uma forma ou de outra perseguido por causa de minha fé. Os autênticos seguidores de Cristo sempre sofrerão assim porque eles não são deste mundo (Jo 17.14). No momento em que nascem de novo no Reino de Deus, já não são mais contados entre aqueles que servem ao Príncipe deste século. Portanto, tornam-se estrangeiros e inimigos. Libertos foram do império das trevas e transportados para o reino do Filho do Seu amor (Cl 1.13). Sendo assim, com a lealdade mudada, são perseguidos pelo seu antigo e cruel senhor (Ef 2.1-3).

Soa de forma bizarra encontrar tantos cristãos, infelizmente, ainda como que pertencentes ao seu antigo senhor. Cristãos que trilham caminhos desonrosos a Deus e que prestam um desserviço à causa do Evangelho.

Não deve o crente ceder às inúmeras pressões que sofre diariamente para que ceda e desobedeça aos mandamentos do Senhor. São tentações aos quais sistematicamente vai sendo expondo (ou, que voluntariamente se expõe, o que é lamentável) portanto, deve ele apegar-se firmemente aos recursos espirituais: oração e leitura e meditação da Palavra de Deus.

Onde está um discípulo autêntico de Cristo, ali deve brilhar a luz. Mesmo que esteja debaixo do fogo cerrado do Inimigo, o seu testemunho deve ser incólume. Não ceder, não deixar brechas, não abrir mão daquilo que possui em Cristo, deve ser sua firme determinação.

Meus irmãos, todos nós estamos sob o ataque de Satanás. Somos o seu alvo, não nos enganemos nisto. Pedro escreve assim: Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo” (1 Pe 5.9).

Haja um cuidado redobrado em todos nós, crentes. Uma palavra de Paulo ajuda-nos nesta questão: Ninguém que milita se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar aquele que o alistou para a guerra” (2 Tm 2.4). O zelo em cada um de nós em sermos fiéis agrada ao Senhor e também é um forte testemunho. Somos testados de contínuo e devemos perseverar em nosso aprendizado diário aos pés de Jesus em meio a toda espécie de pressão da sociedade que nos rodeia.

Lembremo-nos uma vez mais de Paulo. Sofreu inúmeras pressões em seu ministério e ainda pôde dizer: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé” (2 Tm 4.7).

Eu e você, poderemos dizer o mesmo? Que o Senhor nos guarde em meio à toda pressão e opressão que porventura nos aflija. A graça d’Ele é poderosa e suficiente para isso. Amém!

Nenhum comentário:

O Discípulo e as Bênçãos da Salvação

Das muitas, inumeráveis e abundantes reflexões que a Palavra de Deus proporciona a todos nós, discípulos de Cristo, está o que concerne...