sábado, 28 de novembro de 2009

Cristãos amorosamente fraternos


"Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia seu irmão,
é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao
qual viu, como pode amar a Deus a quem não
viu? E dele temos este mandamento: que quem
ama a Deus, ame também a seu irmão."

1 João 4.20, 21

O amor fraternal na Igreja de Cristo deve ser altamente enfatizado. Isto porque, Jesus Cristo juntamente com os doze discípulos, priorizou esta verdade. Iniciando com os primeiros discípulos e chegando a nós hoje, a ordem do Senhor é uma só, que nos amemos uns aos outros, ouçamos as próprias palavras Dele: "Um novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; como eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis. Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros." (Jo 13.34, 35).

Como então alguém chega a ser reconhecido como discípulo de Cristo? Exatamente desta forma, amando a seu irmão em Cristo Jesus. O Senhor deixou claríssimo este ponto. Não há porque fazermos de forma diversa ao que Jesus ordenou. Devemos amar ao nosso irmão, igualmente seguidor de Jesus, igualmente discípulo como nós também o somos.

Eu confesso que tenho dificuldades para amar a meu irmão em algumas oportunidades. Quando este irmão me ofende, me hostiliza, me menospreza, me discrimina (sim, isto acontece na Igreja também, infelizmente!). Ou, quando eu mesmo assim faço, também tenho consciência de que ele terá dificuldades comigo. O que fazer então? A solução passa em estarmos obedientes ao que as Escrituras dizem para vivermos em harmonia com nosso semelhante, apesar de sermos quem somos, com nossas tendências pecaminosas.

O apóstolo Paulo, em Ef 4.2 diz-nos que devemos andar com toda humildade e mansidão, com longanimidade e suportando-nos uns aos outros em amor. Em Cl 3.13, ele fala da mesma maneira, para que suportemo-nos e perdoemo-nos mutuamente e revestindo-nos do amor que é, ele diz, o vínculo da perfeição.

O apóstolo Pedro em sua primeira epístola 1.22 ensina-nos que nossas almas são purificadas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido. E ele ordena: "Amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro." E em 3.8,9 ele ainda exorta a termos todos um mesmo sentimento, sendo compassivos, amando aos irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis e não tornando mal por mal ou injúria por injúria, mas bendizendo. E em sua segunda epístola, 1.5-7, falando sobre a prática das virtudes cristãs, cita o amor fraternal como uma dessas virtudes a serem cultivadas.

O apóstolo Tiago em sua epístola cap 4 verso 11 adverte para que não falemos mal uns dos outros.

O apóstolo João, além dos versículos em epígrafe, demonstra amplamente em sua primeira epístola, como devemos de fato amar ao nosso irmão, e que se isso não ocorre, ou seja, se o odiamos, ele é categórico em afirmar que estamos em trevas e estamos cegos, 2.10, quem não ama a seu irmão permanece na morte, 3.14 e é homicida, v. 15. Se não amamos ao nosso irmão e ainda dizemos que conhecemos a Deus, somos mentirosos, diz João em 2.4.

Portanto irmãos, somos amplamente admoestados para que pratiquemos o amor fraternal porque é um imperativo do Senhor. É evidente que em nosso caminho de discipulado, tropeçaremos neste aspecto tão importante, mas não devemos desanimar porque o Espírito Santo, conforme Fp 1.6 certamente completará sua boa obra em nós.

Finalizamos esta breve palavra citando ainda o apóstolo João: "Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor." (1Jo 4.8).

Que todos nós, sem exceção, possamos andar assim à semelhança de Deus. Fique no amor de Deus. Pratique o amor de Deus. Viva o amor de Deus. Amém.





Um comentário:

Sergio H S Christino disse...

Quantas Vezes
Quantas vezes nós pensamos em desistir,
deixar de lado, o ideal e os sonhos;
Quantas vezes batemos em retirada,
com o coração amargurado pela injustiça;
Quantas vezes sentimos o peso da responsabilidade,
sem ter com quem dividir;
Quantas vezes sentimos solidão,
mesmo cercado de pessoas;
Quantas vezes falamos,
sem sermos notados;
Quantas vezes lutamos
por uma causa perdida;
Quantas vezes voltamos para casa
com a sensação de derrota;
Quanta vezes aquela lágrima,
teima em cair, justamente na hora
em que precisamos parecer fortes;
E Deus insiste em nos abençoar,
em nos mostrar o caminho:
Aquele mais difícil, mais complicado, mais bonito.
E a gente insiste em seguir,
por que temos uma missão:
SER FELIZ !
Às vezes nos deparamos com situações que
Nos afligem, nos fazem sentir, e até mesmo chorar...
Mais saiba por certo, que a cada momento da vida,
Cada lágrima caída, cada sorriso dado, estará
Tudo anotado no diário de Deus...
Diacono Sergio