sábado, 17 de setembro de 2011

O que o discípulo de Jesus pode aprender com as orações da Bíblia - 3


Já tivemos a oportunidade nas duas semanas anteriores de falar sobre os dois primeiros aspectos da oração, a intercessão e a petição. Hoje meditaremos no terceiro aspecto, ação de graças. Para tanto, o texto que embasará nossa reflexão está em Êxodo 15.1-21. É o cântico de agradecimento de Moisés pelo livramento de Israel do domínio de Faraó e dos egípcios. No cap. 14 versos 29 a 31 lemos dessa forma: "Mas os filhos de Israel foram pelo meio do mar seco; e as águas foram-lhes como muro à sua mão direita e à sua esquerda. Assim o Senhor salvou Israel naquele dia da mãos dos egípcios; e Israel viu os egípcios mortos na praia do mar. E viu Israel a grande mão que o Senhor mostrara aos egípcios; e temeu o povo ao Senhor, e creu no Senhor e em Moisés, seu servo."

Na sequência, cap. 15, Moisés e os filhos de Israel, com grande alegria e gratidão em seus corações por causa de tão grande livramento, passam a entoar um cântico. Os cinco primeiros versículos evidenciam bem de como se livraram do inimigo pela mão forte do Senhor: "Então cantou Moisés e os filhos de Israel este cântico ao Senhor, e falaram, dizendo: Cantarei ao Senhor, porque gloriosamente triunfou; lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro. O Senhor é a minha força, e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus, portanto lhe farei uma habitação; ele é o Deus de meu pai, por isso o exaltarei. O Senhor é homem de guerra; o Senhor é o seu nome. Lançou no mar os carros de Faraó e o seu exército; e os seus escolhidos príncipes se afogaram-se no Mar Vermelho. Os abismos os cobriram; desceram às profundezas como pedra."

O Senhor fora glorificado com esse livramento que dera a Seu povo, exatamente como dissera (Êx 14.17,18). Moisés agora expressa de forma pessoal este hino de agradecimento que na verdade é uma oração de agradecimento. Ele descreve o livramento propriamente dito e passa depois a exaltar o poder de Deus, descrevendo o Senhor como Aquele que executa feitos portentosos em prol do povo que chamara e escolhera. E tal é a alegria, tal a gratidão, que Miriã, irmã de Moisés, juntamente com as mulheres, passa a cantar e louvar, com tamboris e com danças, o grande livramento que receberam (vv. 20,21).

Como discípulos de Jesus, aprendemos aqui o valor de expressar audivelmente nossa gratidão ao Senhor por tudo que nos tem proporcionado. Antes de mais nada lembramos que a salvação em Jesus, Sua morte na cruz do Calvário, é o antítipo da libertação que Israel teve da escravidão do Egito. Como Moisés, Miriã e todo o povo celebraram com esse cântico de ação de graças a obra de Deus em seu favor, assim somos nós, discípulos de Cristo igualmente, pela obra d'Ele a nosso favor, portanto, as ações de graça não podem estar ausentes em nossa vida de oração e em todo tempo.

O apóstolo Paulo ensina: "Perseverai em oração, velando nela com ação de graças" (Cl 4.2), ou seja, sempre constantes em nossa vida de oração, e com uma indubitável expressão de agradecimento no coração e nos lábios, por isso o salmista diz: "Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o e bendizei o seu nome" (Sl 100.4).

Há um paralelo maravilhoso entre as ações de graças de Israel pelo livramento que tiveram e dos discípulos do Cordeiro de Deus, leiamos: "E vi outro grande e admirável sinal no céu: sete anjos, que tinham as sete últimas pragas; porque nelas é consumada a ira de Deus. E vi um como mar de vidro misturado com fogo; e também os que saíram vitoriosos da besta, e da sua imagem, e do seu sinal, e do número do seu nome, que estavam junto ao mar de vidro, e tinham as harpas de Deus. E cantavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, o Rei dos santos. Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos" (Ap 15.1-4).

Diante disso tudo, que possa haver então no seu e no meu coração e no todo de nossas vidas, gratidão por tudo o que o Senhor nos fez. Possamos Lhe agradecer antecipadamente também por tudo o que Ele fará conforme expresso em Sua Palavra profética. Obrigado então Senhor, por todas as coisas, porque tudo vem de Ti, amém!

Nenhum comentário:

O Discípulo e as Bênçãos da Salvação

Das muitas, inumeráveis e abundantes reflexões que a Palavra de Deus proporciona a todos nós, discípulos de Cristo, está o que concerne...