O discípulo e a aplicação diária da cruz - QUEBRANTAMENTO


"Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus" (Sl 51.17)

O rei Davi, mesmo que tenha pecado gravemente, buscou com diligência o perdão de seus pecados. Hoje, exatamente gostaríamos de falar de mais outro aspecto da aplicação diária da cruz - o quebrantamento.

Uma das coisas mais lindas e mais tremendas que alguém pode esperar ver é um quebrantamento genuíno de coração diante de Deus. Quando assim procedemos, a represa das bençãos de Deus é liberada e poderemos grandemente nos alegrar diante d'Ele e Ele diante de nós. Sim, pois o Senhor se alegra sobremaneira com nossa atitude de retorno a Ele, de reconhecimento pleno de nossos pecados, de dar razão a Ele e à Sua Palavra quando somos notificados de nossos erros.

Davi desejava um coração inteiramente puro. Pedia a Deus uma operação mais profunda de Sua graça. Ainda no Salmo 51 lemos o seguinte: "Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.....Cria em mim ó Deus um coração puro, e renova em mim um espírito reto" (6,7,10).

O que todos nós, discípulos de Jesus Cristo, deveremos entender, é de que temos de manter uma atitude de arrependimento por toda nossa vida. Essa atitude precisamente chama-se quebrantamento. Nós podemos perder nossa experiência de santificação, se permanecermos inquebrantáveis, se não nos dobrarmos arrependidos perante o Senhor. Ele nos admoesta a nos humilharmos e a atitude única aceitável por Ele de nossa parte é justamente o quebrantamento de nosso coração.

Vivemos em absoluta dependência de Cristo agora e do Espírito Santo. Por isso, não há mais em mim nem em você a antiga atitude de tomarmos vingança em nossas mãos, por exemplo, quando somos ofendidos. No sentido do velho homem, queremos nos desforrar. Mas, viveremos em humildade e escondidos em Deus, na dependência absoluta e incondicional d'Ele. Existe um antigo provérbio hindu que afirma: "Podemos andar sobre a areia o resto da vida, que ela nunca reagirá."

Interessante notarmos que os vocábulos humildade e humano provém da mesma palavra latina humus, que significa a mesma terra escura sobre a qual andamos. Muito mais do que ocupar-se com o pecado, no sentido de penitência e contrição, a humildade é a própria essência da santidade. Humildade é destronar o ego e entronizar a Cristo. Este é tudo e o ego nada. Não significa meramente uma sucessão de atos humildes, mas é a expressão do espírito quebrantado. Entendemos pois que, o espírito de humildade, o espírito de quebrantamento, significa a ausência de um espírito de desforra e autodefesa. E nisto, nosso grande exemplo é o próprio Senhor Jesus, porque sofreu nas mãos de pecadores e não abriu sua boca, não reagiu, mas conservou-se humilde e confiante no Pai (1 Pe 2.19-24).

Deus pode nos quebrantar através da humilhação que nos prova e vexa. E quando isto acontece, ou aceitamos e nos quebrantamos ou nos endurecemos. Se aceitarmos ser quebrantados - em nossa vontade própria, em nossas ambições, ideias, visões, e sermos desprezados pelas pessoas e tidos por indignos e abandonados, somente aí então o Espírito Santo nos tomará e usará para a glória de Deus. E é com Jesus que aprenderemos, na senda do discipulado, esse espírito de humildade.

Não basta confessarmos nossos pecados a Deus, mas para realmente resolvermos o problema da reincidência no pecado, deveremos ter um genuíno quebrantamento de espírito. Nossa rendição a Deus é a nossa mais alta prioridade. Esta atitude é a única que realmente abre a porta da graça de Deus para nós, a única que nos mantém firmes agradando a Ele.

Quando Deus nos fizer passar por provas e aflições teremos três opções: ou rebelamo-nos e resistimos, ou perdemos a esperança, ou nos quebrantamos. Quando nos quebrantamos, Cristo é revelado em nós. Quebrantamento é obra de Deus e nossa também. Deverá ser esta a atitude correta portanto para uma vida de santidade e poder reais.

Na semana vindoura falaremos sobre mais um aspecto na aplicação diária da cruz - a intercessão.

Que o Senhor da glória ricamente te abençoe.

Comentários

Anônimo disse…
Paz do Senhor irmão!

Excelente estudo! Entendi que quando nos quebrantamos submetemos nossa vida ao controle do Senhor. "Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus".

Obrigada pela palavra partilhada. Que o Senhor continue te enchendo de sabedoria.
Que bom que tenha gostado, queira Deus que você seja sempre edificada quando passar por aqui, que o Senhor igualmente te conceda bençãos sem medida!

Cicero Ramos
Lucy&Jorge disse…
Deus, o Senhor Todo Poderoso, preza muito um coração contrito e sincero, isso mexe com os sentimentos do nosso Criador. Ele jamais ele desprezará aquele que o buscar com inteireza de coração. Porque as coisas de Deus são simples e descomplicadas: basta andarmos na direção do Espírito Santo e em Comunhão com o nosso Salvador e Senhor. Jesus Cristo.
Parabéns pela mensagem!!!

Sugiro a visita aos blogs:

http://frutodoespirito9.blogspot.com/

http://discipulodecristo7.blogspot.com/

***Shalom***
Éder Carvalho disse…
Legal, li seu comentário no meu blog e vim pra cá... Vou começar a te acompanhar... já adicionei nos meus favoritos. Um abração... Paz!!!

Postagens mais visitadas deste blog

O legado do pietismo e do puritanismo para o discipulado cristão

O embaraço e o pecado na vida do discípulo

Quando Deus quer nos falar, Ele nos leva ao deserto