sábado, 22 de janeiro de 2011

O discípulo e a aplicação diária da cruz - QUEBRANTAMENTO


"Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus" (Sl 51.17)

O rei Davi, mesmo que tenha pecado gravemente, buscou com diligência o perdão de seus pecados. Hoje, exatamente gostaríamos de falar de mais outro aspecto da aplicação diária da cruz - o quebrantamento.

Uma das coisas mais lindas e mais tremendas que alguém pode esperar ver é um quebrantamento genuíno de coração diante de Deus. Quando assim procedemos, a represa das bençãos de Deus é liberada e poderemos grandemente nos alegrar diante d'Ele e Ele diante de nós. Sim, pois o Senhor se alegra sobremaneira com nossa atitude de retorno a Ele, de reconhecimento pleno de nossos pecados, de dar razão a Ele e à Sua Palavra quando somos notificados de nossos erros.

Davi desejava um coração inteiramente puro. Pedia a Deus uma operação mais profunda de Sua graça. Ainda no Salmo 51 lemos o seguinte: "Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.....Cria em mim ó Deus um coração puro, e renova em mim um espírito reto" (6,7,10).

O que todos nós, discípulos de Jesus Cristo, deveremos entender, é de que temos de manter uma atitude de arrependimento por toda nossa vida. Essa atitude precisamente chama-se quebrantamento. Nós podemos perder nossa experiência de santificação, se permanecermos inquebrantáveis, se não nos dobrarmos arrependidos perante o Senhor. Ele nos admoesta a nos humilharmos e a atitude única aceitável por Ele de nossa parte é justamente o quebrantamento de nosso coração.

Vivemos em absoluta dependência de Cristo agora e do Espírito Santo. Por isso, não há mais em mim nem em você a antiga atitude de tomarmos vingança em nossas mãos, por exemplo, quando somos ofendidos. No sentido do velho homem, queremos nos desforrar. Mas, viveremos em humildade e escondidos em Deus, na dependência absoluta e incondicional d'Ele. Existe um antigo provérbio hindu que afirma: "Podemos andar sobre a areia o resto da vida, que ela nunca reagirá."

Interessante notarmos que os vocábulos humildade e humano provém da mesma palavra latina humus, que significa a mesma terra escura sobre a qual andamos. Muito mais do que ocupar-se com o pecado, no sentido de penitência e contrição, a humildade é a própria essência da santidade. Humildade é destronar o ego e entronizar a Cristo. Este é tudo e o ego nada. Não significa meramente uma sucessão de atos humildes, mas é a expressão do espírito quebrantado. Entendemos pois que, o espírito de humildade, o espírito de quebrantamento, significa a ausência de um espírito de desforra e autodefesa. E nisto, nosso grande exemplo é o próprio Senhor Jesus, porque sofreu nas mãos de pecadores e não abriu sua boca, não reagiu, mas conservou-se humilde e confiante no Pai (1 Pe 2.19-24).

Deus pode nos quebrantar através da humilhação que nos prova e vexa. E quando isto acontece, ou aceitamos e nos quebrantamos ou nos endurecemos. Se aceitarmos ser quebrantados - em nossa vontade própria, em nossas ambições, ideias, visões, e sermos desprezados pelas pessoas e tidos por indignos e abandonados, somente aí então o Espírito Santo nos tomará e usará para a glória de Deus. E é com Jesus que aprenderemos, na senda do discipulado, esse espírito de humildade.

Não basta confessarmos nossos pecados a Deus, mas para realmente resolvermos o problema da reincidência no pecado, deveremos ter um genuíno quebrantamento de espírito. Nossa rendição a Deus é a nossa mais alta prioridade. Esta atitude é a única que realmente abre a porta da graça de Deus para nós, a única que nos mantém firmes agradando a Ele.

Quando Deus nos fizer passar por provas e aflições teremos três opções: ou rebelamo-nos e resistimos, ou perdemos a esperança, ou nos quebrantamos. Quando nos quebrantamos, Cristo é revelado em nós. Quebrantamento é obra de Deus e nossa também. Deverá ser esta a atitude correta portanto para uma vida de santidade e poder reais.

Na semana vindoura falaremos sobre mais um aspecto na aplicação diária da cruz - a intercessão.

Que o Senhor da glória ricamente te abençoe.

4 comentários:

Meu Cantinho para Meditar disse...

Paz do Senhor irmão!

Excelente estudo! Entendi que quando nos quebrantamos submetemos nossa vida ao controle do Senhor. "Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus".

Obrigada pela palavra partilhada. Que o Senhor continue te enchendo de sabedoria.

Observatório Teológico disse...

Que bom que tenha gostado, queira Deus que você seja sempre edificada quando passar por aqui, que o Senhor igualmente te conceda bençãos sem medida!

Cicero Ramos

Lucy&Jorge disse...

Deus, o Senhor Todo Poderoso, preza muito um coração contrito e sincero, isso mexe com os sentimentos do nosso Criador. Ele jamais ele desprezará aquele que o buscar com inteireza de coração. Porque as coisas de Deus são simples e descomplicadas: basta andarmos na direção do Espírito Santo e em Comunhão com o nosso Salvador e Senhor. Jesus Cristo.
Parabéns pela mensagem!!!

Sugiro a visita aos blogs:

http://frutodoespirito9.blogspot.com/

http://discipulodecristo7.blogspot.com/

***Shalom***

Éder Carvalho disse...

Legal, li seu comentário no meu blog e vim pra cá... Vou começar a te acompanhar... já adicionei nos meus favoritos. Um abração... Paz!!!