domingo, 14 de novembro de 2010

O discípulo e seu esforço no viver com Cristo


Salmo 31.24: “Esforçai-vos, e ele fortalecerá o vosso coração, vós todos os que esperais no Senhor.”

Na nova vida que temos em Jesus, salvos pela graça e ministrados e guiados pelo Espírito Santo, devemos entender que há a parte que a nós compete na senda da santificação em que nos encontramos, ou seja, temos que fazer a nossa parte, temos que procurar agradar ao Senhor, esforçando-nos nisto diuturnamente.

Este esforço não é uma atitude de legalismo. De obedecer normas, leis e regulamentos. A santificação prescinde disso. Este esforço consiste em renúncia pessoal. Em carregar a própria cruz diariamente (Lc 14.27). É muito diferente de guardar meramente ordenanças humanas. Por amor a Cristo Jesus, obedecemos ao que está claro na Palavra de Deus, naquilo que consiste em pecado, em tudo o que ofende a santidade divina.

Este esforço pessoal para sermos agradáveis a Ele conforme o Sl 31.24, resultará em fortalecimento do nosso coração. No que consiste isso? Salomão escreveu sobre o coração: ”Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida” (Pv 4.23). O termo no original hebraico faz uma interação entre intelecto, emoções e vontade. A condição de nosso coração diante de Deus é algo crucial. Por isso, torna-se prioritário guardá-lo e fortalecê-lo. Na medida que vamos na senda do discipulado agradando a Nosso Senhor, quando vamos operando a nossa salvação com tremor e temor, Deus operará em nós o querer e o efetuar segundo a Sua vontade (Fp 2.12,13). E assim o “homem encoberto no coração”, conforme diz Pedro (1 Pe 3.4), ou ainda aquilo que escreve Paulo em 1 Ts 5.23: “E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”, ocorrerá em nossa vida de forma maravilhosa e quase imperceptível.

Todos nós que O servimos devemos aprender o princípio de saber esperar n’Ele. A Bíblia do começo ao fim declara que o homem que aprende a esperar no Senhor, é bem aventurado. Isto porque, o Senhor tem o Seu modo de agir, os Seus caminhos são mais altos que os nossos caminhos (Is 55.9). Jeremias escreve em Lamentações: “Bom é o Senhor para os que esperam por ele, para a alma que o busca” (Lm 3.25).

O discípulo de Jesus Cristo tem muitas e variadas razões para prosseguir avante em sua caminhada com seu Senhor. Quando procura se abster de toda a aparência do mal (1 Ts 5.22). Quando foge da imoralidade ou da prostituição (1 Co 6.18). Quando não dá lugar ao diabo (Ef 4.27) de forma alguma. Tudo isto deve exigir, deve demandar um esforço consciente para obedecer integralmente tudo o que o Senhor ordenou em Sua Palava.

Reiteramos que isto não é legalismo. Não é um guardar de regras e regulamento, o “pode” ou “não pode” isto ou aquiloutro (Cl 2.20-23). Mas é a intenção consciente de obedecer por amor àquele que por nós todos morreu e ressuscitou.

Vivamos hoje a vida com Cristo, como fiéis discípulos seus, em total dependência de Sua graça e para a glória de Seu Nome.

Pois que muito desejamos também ser-lhe agradáveis, quer presentes, quer ausentes”

2 Co 5.9

Em o Nome de Jesus, Amém.

Nenhum comentário:

O Discípulo e as Bênçãos da Salvação

Das muitas, inumeráveis e abundantes reflexões que a Palavra de Deus proporciona a todos nós, discípulos de Cristo, está o que concerne...