terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Igreja distorcida, discípulos tortos!


O Evangelho puro e simples tem passado por maus bocados nos dias de hoje. O conceito de uma igreja defensora da verdade do Evangelho, uma igreja pura, que pratique a sã doutrina, está sendo posto de lado constantemente. Aqui e ali proliferam igrejas que se esmeram em modismos e invencionices humanas com o intuito de alcançarem uma suposta relevância, mas que na verdade deturpam a preciosidade e a vitalidade do conceito bíblico de Igreja como se encontra nas páginas do NT.   

Isto certamente vai impactar no discipulado. No seguir a Cristo todos os dias e todas as horas. A confusão reinante de ideologias, doutrinas e visões de ministério produz uma Igreja distorcida e indubitavelmente vai gerar discípulos tortos. Tortos no sentido de não andarem segundo o RETO caminho que lhes é proposto nas Escrituras (At 13.10). Teologia Relacional. Teologia da Prosperidade. Liberalismo teológico. Neopentecostalismo. Legalismo de usos e costumes, ou o seu oposto, o Antinomianismo. Essas são as distorções que estão em nosso meio e que exigem um posicionamento firme de todo o crente que ama e reconhece a sã doutrina (2Tm 4.3).

É importantíssimo o discipulado saudável na Igreja do Senhor. Já expus em textos anteriores o ideal de um discípulo de Cristo mais veterano na intimidade e perseverante na caminhada com o Senhor, colocar-se em posição de discipular, de ensinar discípulos mais novos a que também aprendam a ter a mesma intimidade e perseverança em caminhar sempre com Jesus. Isso é fundamental na Igreja cristã.

Todavia será um discipulado tortuoso, desfocado, inútil tanto para o discipulando como também para o que discipula, se tiverem como pressupostos de fé, conceitos teológicos como os que relacionei há pouco. Como pensar em um discípulo saudável que acredita que Deus abriu mão de sua soberania, ou que não é onisciente? Ou um discípulo que acredita que pode ordenar que o Senhor Deus atenda a todos os seus pedidos, que ele tem direitos e Deus é obrigado a atendê-lo? Ou, aqueles que entendem que a vida cristã é sinônimo de um código de regras e que quase tudo é pecado? Ou, em outro extremo, o crente pode fazer o que quiser, até cair na gandaia, porque sendo Deus gracioso, sempre irá perdoá-lo?

Não se pode pensar em discipulado saudável em ambiências como essas. Não se concebe saúde espiritual e caminhada junto com o Mestre se a Palavra de Deus é desprezada nessas variadas formas.

Urge que cada pastor volte-se para a pureza da Palavra de Deus. Que abandone urgentemente toda heterodoxia, todo ensino errôneo, e se apegue à sã doutrina, à ortodoxia. Parece que há pastores que entendem que a Bíblia tem de ser complementada com ensinos humanos. A REVELAÇÃO DE DEUS É COMPLETA E IMUTÁVEL. O QUE DEUS TENCIONOU NOS REVELAR E ORDENOU QUE OBEDECÊSSEMOS ESTÁ NOS 66 LIVROS QUE COMPÕEM AS SAGRADAS ESCRITURAS. 

Uma igreja distorcida é aquela que, além da Bíblia, enfatiza interpretações humanas alheias ao que o texto bíblico realmente quis dizer. Isto vai gerar multidões de discípulos tortos, ou seja, deformados em sua vida de fé no Senhor, porque acreditam e colocam em prática ensinos que Deus nunca teve a intenção de repassar-lhes para que obedecessem.

Todo obreiro, todo mestre, todo pastor, todo discipulador, deveria bem atentar para as palavras do apóstolo Paulo em 1Tm 4.6: "Propondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Jesus Cristo, criado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido." Que coisas são essas? No verso 1 em diante, por revelação do Espírito Santo, Paulo diz que muitos apostatariam, abandonariam a fé, por darem ouvidos a espíritos malignos enganadores e acreditarem nas doutrinas diabólicas que ensinariam. Ele fala da falsidade, da hipocrisia dessas pessoas, desses líderes que tem a consciência morta, cauterizada, por falarem e ensinarem muitos conceitos estranhos à Bíblia. E em seguida fala da importância da Palavra de Deus e da oração para a santificação do cristão.

Então, que cada um de nós, especialmente enquanto pastor, mestre, presbítero, diácono, discipulador etc, possa refletir diante do Senhor no que tem acreditado, se é realmente a sã doutrina. Sua prática de vida com Cristo deve estar exatamente conforme ao que está escrito. E assim poder ensinar a outros. Disso resultará uma igreja equilibrada e discípulos bem aprumados.

Que o Senhor da Igreja abençoe a mesma e a todos os seus leais discípulos e seguidores. 

Soli Deo Gloria.
  

2 comentários:

Roberto disse...

Concordo com o artigo de que um dos, sérios, problemas da igreja é o fato de muitos cristãos partirem de presupostos falsos. Oremos para que Deus desperte em nós um amor por Cristo e por Sua Palavra!
Deus o abençoe!

Observatório Teológico disse...

Verdade, e se nós procurarmos viver na integridade o verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo, creio que poderemos influenciar para o bem todo o povo de Deus, notadamente aqueles que andam desvirtuados dessa verdade, que Deus lhe abençoe Roberto, fica na PAZ!