domingo, 4 de julho de 2010

A misericórdia de Deus e o nosso pecado



Uma dos aspectos mais maravilhosos do caráter de Deus refere-se à Sua misericórdia em relação ao fato de sermos miseráveis pecadores. Na caminhada de nosso discipulado com Jesus, aprendendo d’Ele a cada dia, muitos serão nossos erros e pecados cometidos. É nesta hora mais do que qualquer outra que experimentaremos como é grande o amor de Deus para conosco.

Uma coisa é certa: Deus nos ama com amor incondicional. Ele nos resgatou do precipício da impiedade em que vivíamos e hoje podemos adorá-lo em Espírito e em verdade (Jo 4.24). Podemos serví-lo na liberdade do Espírito Santo (2 Co 3.17). Somos seus seguidores e imitadores. Assim, há toda uma atmosfera santa a nos rodear, há toda uma ambiência de piedade pairando sobre nossa vida. Mas nós mesmos podemos macular esta santidade. Nós mesmos temos o maldito dom de tudo estragar.

O caminho do discipulado, como já tivemos oportunidade de aqui expressar, de fato não é um caminho fácil. É muito árduo. Exatamente porque lutamos contra nossa natureza pecaminosa, nossa carne e se assim não fora, o apóstolo João não teria dito: Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, SE ALGUÉM PECAR, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo” (1 Jo 2.1). Podemos sim pecar, estamos sujeitos à faculdade do erro. Paulo também disse: Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço” (Rm 7.19). É notória portanto a nossa capacidade para o erro, mesmo depois de termos nascido de novo.

Nunca nos esqueçamos que Deus é santo e não compactua com o pecado. Pedro é quem nos ensina: Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo” (1 Pe 1.15,16). Santidade para servimos a Deus agradavelmente é exigida do discípulo de Cristo. Disto Deus não abre mão. É impossível serví-lo sem ser separado para Ele, ou seja, sem ser santo.

Assim, fica patente a responsabilidade de nossa vocação diante do Pai, porque nos chama Ele a um compromisso de santidade. Em nosso cotidiano devemos aplicar o ensino de Paulo como está registrado em Fp 2.12b: ….assim também operai a vossa salvação com temor e tremor.” O que fica patente aqui é o cuidado no todo de nossa vida. Somos discípulos do Rei do Universo e é imprescindível este zelo em tudo para que O agrademos.

Mas contamos igualmente com Sua misericórdia e amor para com nossa fraqueza. Contamos com aquele que em Seu ministério terreno, nunca deixou de atender a todos que O procuravam, Ele é Aquele que olhou para as multidões e teve compaixão delas porque andavam cansadas e desgarradas e eram como ovelhas que não têm pastor (Mt 9.36). Ele é Aquele que não esmaga a cana quebrada nem apaga o pavio que fumega (Is 42.3). Ou seja, mesmo em nossos erros, mesmo quando nos revolvemos na lama de nossos pecados, é misericordioso o Senhor e suficientemente Poderoso para nos resgatar, lavar e purificar novamente, ….e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 Jo 1.7b).

Meu amado irmão, discípulo de Jesus assim como eu mesmo, não fique prostrado pelo caminho. Se você errou, clame pela misericórdia de Deus, e Ele estará sempre pronto para continuar a trabalhar em sua vida. Deus não rejeita nunca todos que se voltam para Ele rogando por Sua graça. Ele te ama. O Seu Santo Espírito continuará Sua obra poderosa, aperfeiçoando-o e moldando-o sempre todos os dias, até aquele grande Dia (Fp 1.6). Experimente isso hoje, é o meu desejo e minha oração em o Nome de Jesus, amém!

Nenhum comentário: