domingo, 24 de agosto de 2014

Discípulos que ouvem a pregação da Palavra de Deus


DISCÍPULOS DE JESUS CRISTO devem ouvir a genuína pregação da Palavra de Deus e assim ser edificados.

MAS O QUE ACONTECE quando, em um culto, na hora da pregação da mensagem, muitos crentes levantam e saem do recinto, alguns para conversarem no lado externo do templo ou local de reunião e outros para irem para suas casas?

CONVÉM UMA REFLEXÃO nesse sentido. Será que muitos discípulos de Jesus estão, por muito pouco, negligenciando o que está escrito em Rm 10.17:“De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus?

PAULO NOS ENSINA por meio dessa passagem de que nossa fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. Isso significa que deveremos atentar para a palavra pregada. Não qualquer palavra, não qualquer pregador. Visto que muitos não pregam a Cristo, mas falam de si mesmos, ou, acrescentam à pura Palavra de Deus coisas estranhas e que mais satisfazem ao ego humano do que glorificam ao Deus da Palavra. Fica óbvio que a fé não pode ser gerada dessa forma e muito menos crescer nos corações dos ouvintes!

TENHO VISTO crentes saírem do recinto na hora em que o pregador assume o púlpito para pregar. E sei que muitos que fazem isso, mal conhecem aquele que lhes pregará as Escrituras ou absolutamente nada sabem sobre ele. É com tristeza que podemos constatar que muitos desses crentes consideram o culto somente mais um momento em sua agenda ou um passatempo, um entretenimento. Não lhes interessa ouvir uma palavra vinda da parte de Deus pela instrumentalidade dos servos que Ele chamou e capacitou para tanto.

NO QUE TANGE ao discipulado genuíno, tanto é importante o contato pessoal entre os membros do Corpo de Cristo como também ouvir uma pregação eminentemente bíblica. A reunião com outro servo de Deus através do qual sou discipulado, a reunião no grupo pequeno são elementos fundamentais em minha edificação e crescimento em Cristo, tanto como ouvir um consagrado servo do Senhor pregar uma mensagem com conteúdo bíblico verdadeiro.

O FUNDAMENTO APROPRIADO da pregação é a Bíblia, mas ela, a Palavra de Deus, está ficando notavelmente ausente na pregação contemporânea. Não deveríamos ouvir mensagens do tipo "auto-ajuda" ou outras com anedotas ou coisas semelhantes. Precisamos nessa urgente hora sermos alimentados com o genuíno "pão descido do céu" (Jo 6.50,51,58).

O MEIO POR EXCELÊNCIA para o Senhor Jesus salvar, santificar e fortalecer Sua Igreja ainda é a pregação. Sabemos então que é a proclamação do Evangelho que produzirá verdadeira fé nos discípulos de Cristo (Rm10.14). 

JOHN MAcARTHUR discorrendo em seu excelente livro "Redescobrindo o Ministério Pastoral" (CPAD) elenca quatro aspectos que os pastores e porque não dizer, todos os discípulos de Cristo, deveriam considerar acerca da importância da pregação: 1) A pregação deve receber a devida prioridade; 2) A pregação deve receber a devida fundamentação; 3) A pregação deve possuir o devido conteúdo; 4) A pregação deve conter o devido compromisso. Prioridade na atividade da pregação, fundamentação e conteúdo bíblicos e o compromisso de pregar somente a Palavra de Deus e nada mais. Será que tudo isso por si só não declara que deveríamos parar e ouvir a mensagem da Palavra inspirada do Senhor por meio dos servos que Ele chamou e capacitou?

O DISCÍPULO de Jesus Cristo precisa parar a fim de ouvir a Palavra de Deus. Em nosso mundo moderno, muitas são as distrações que não contribuem para essa salutar ação. O coração de um discípulo deve mesmo se preparar com antecedência para o que Deus deseja ministrar-lhe. Talvez essa seja a razão de muitos se impacientarem e se ausentarem de uma reunião cristã pois não estão preparados para ouvirem aquilo que seria necessário para alimentar-lhes a alma.   

ENTRETANTO, o Espírito de Deus continuará a trabalhar no coração do discípulo e Ele o fará não só por meio da pregação como também persuadindo o cristão de que Ele deve parar e ouvir. Assim como Maria que encerrou todos os afazeres domésticos e sentou-se para ouvir a mensagem de Cristo. Marta, contrariamente e a exemplo de tantos hoje, continuava atribulada e atarefada (Lc 10.38-42):E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.”
 
QUE ESTE BOM EXEMPLO possa nos contagiar e que, como a discípula Maria, possamos parar para ouvir a genuína Palavra de Cristo, deixando toda preocupação e cuidados dessa vida, exatamente aos cuidados dEle  (Mt 11.28). Que o Senhor Deus possa falar em teu coração agora mesmo, amém!
  
 
 

2 comentários:

Naara Éldany disse...

Ótimo texto! lembrei-me de um autor que diz o seguinte: que sempre devemos ser lembrados daquilo que acreditamos. Principalmente quando é a verdade da Bíblia. Quero dizer, ainda que nós saibamos (e nós nem de longe sabemos de toda a verdade Bíblica) é importantíssimo bater na tecla. E ele acrescenta: a maioria das pessoas que se afastam do cristianismo, não se afastam porque foi uma verdade insuficiente - como seria insuficiente? se afastam porque não ouviram o suficiente.

Observatório Teológico disse...

Você está corretíssima Naara, Deus te abençoe e obrigado por comentar !!!