domingo, 23 de setembro de 2012

Perseverando no discipulado nesses dias difíceis



Nenhum crente em sã consciência pode duvidar de que estamos caminhando velozmente para o grande dia de nosso encontro com o Senhor Jesus. Por isso, o discipulado, o sentar aos pés do Senhor, ou seja, abrir a Sua Palavra a cada dia e, em espírito de oração, procurar compreender a vontade dEle para nossa vida, deve estar na ordem de cada dia sem titubearmos sob pena de esmorecermos e até mesmo decairmos na fé diante de tantas tentações que estão a nos espreitar de contínuo.

O discipulado em Cristo Jesus é algo a ser pensado. Não somente deveríamos nos levar por sentimentos. Estes tem seu devido lugar em nossa existência, mas quando vivemos exclusivamente na dimensão das emoções, não conseguimos exercer um saudável discernimento através das Escrituras. São elas que nos dão o ensino adequado para crescermos de forma saudável em Cristo cada dia (2Pe 3.18).

Fico a pensar e me preocupo com igrejas e ministérios em que o discipulado não é ensinado, praticado, demonstrado. Igrejas onde o que prevalece é a práxis, ou seja, o pragmatismo é quem dá o tom do viver cristão. Seguro estou que Jesus disse que temos um imperativo a cumprir, um trabalho a fazer, Ele deu ordens para espalharmos a mensagem da vida eterna, o Evangelho (Mt 28.19,20; Mc 16.14-16; At 1.8). Mas o Senhor disse também que deveríamos vigiar, orar, conhecer as Escrituras a cada dia, para conhecermos melhor ao Deus verdadeiro e ao Seu Filho que Ele enviou para nos redimiu do pecado (Mt 26.41; 22.29; Jo 17.3).

Estes dias estão sendo notabilizados pela grande dificuldade para o viver cristão saudável. Muitas tentações na carne, por meio do mundo e também ataques diretos do Maligno. A Palavra de Deus não deixa por menos em nos informar que isto seria uma realidade palpável nos tempos imediatamente anteriores à vinda gloriosa de nosso Senhor (2Tm 3.1-5; Mt 24.3-13; 2Pe 2). Essas dificuldades tem aumentado grandemente mesmo em meio à cristandade professa, posto que, a apostasia (abandono da fé, 2Ts2.1-3) tem crescido de forma alarmante a cada dia.

Por isso, cada igreja, cada pastor, deve ter uma preocupação pungente com o discipulado autêntico. Em minha modesta ótica, o discipulado começa no momento em que a pessoa se rende ao Senhor Jesus Cristo e deverá ter o pastor da igreja como o grande incentivador e praticante do mesmo. Ele deve ter o zelo de discipular os novos convertidos, mas também deve ter um programa de treinamento de crentes mais maduros, já discipulados e veteranos que possam auxiliá-lo neste ministério tão fundamental. O exemplo bíblico de Moisés recebendo o conselho de seu sogro Jetro (Êx 18) é um fundamento bíblico seguro, porque todos sabemos que um pastor não pode levar o encargo de toda uma igreja. Mesmo em igrejas pequenas, deverão existir crentes que auxiliem ao pastor assim como Moisés nomeou auxiliares para si.

Jesus disse a Pedro: “Apascenta minhas ovelhas” por três vezes (Jo 21.15-17) evidenciando, é claro, o pastoreio de Suas ovelhas, e nisto está implícito o discipulado, o ensino para que cada crente seja como Jesus Cristo mesmo foi. O apóstolo Paulo diz em 1Co 11.1: “Sede meus imitadores, como também eu de Cristo”, e também em Ef 5.1: “Sede, pois, imitadores de Deus como filhos amados.” A imitação de Cristo deve pois ser algo prioritário na vida do discípulo.

Perseverar no discipulado nesses dias difíceis. Não é algo utópico. É perfeitamente realizável. O Senhor disse que estaria conosco todos os dias (Mt 28.20) e que o Espírito Santo ficaria conosco para sempre (Jo 14.16). Sendo assim, tenho garantia plena de que posso continuar em minha jornada até ao grande encontro com o Senhor no dia glorioso de Sua vinda, porque realmente é maior Aquele que está em nós do que aquele que está no mundo (1Jo 4.4), ou seja, o espírito do anticristo e este versículo diz ainda que já o temos vencido. Existe portanto estímulo maior do que esse para continuarmos firmes em nossa peregrinação aqui até o fim?

Desde o mês de maio estava sem escrever neste blog, mas estou retomando estas reflexões porque acredito no poder da palavra escrita e esta segundo a Palavra de Deus, pode ajudar a todo o crente que deseja crescer em seu discipulado com Jesus.

Que Deus produza em ti o desejo profundo de continuar firme sem esmorecer tendo as promessas da Bíblia como âncora segura e firme (Hb 6.19).

A paz eterna do Senhor seja sobre ti hoje e sempre.

Nenhum comentário: