sábado, 10 de março de 2012

Unido com Cristo. Quão maravilhoso é.


Jesus Cristo unido a mim e eu unido a Ele. Esse deve ser o que mais devo almejar. O ideal de todos os dias em minha vida de discipulado. A perfeita unidade mesmo em face à minha inerente falibilidade. O despertar para uma vida dinâmica, renovada, altruísta e perfeitamente realizável. Sim, porque não é utopia. O discípulo de Jesus deve almejar esta união e consumá-la em sua total plenitude.

É notável essa união. Ela não é algo artificioso, arquitetado por mãos humanas se assim pudesse. Totalmente planejada pelo Pai e viabilizada pela morte e ressurreição de Seu Filho na cruz do Calvário. Nossa nova humanidade tem nessa unidade sua base e seu início. E na senda de nossa vida de discipulado com Cristo, teremos de considerar essa união e vivenciá-la na prática todos os dias. 

De forma a não deixar dúvida, a Bíblia deixa claro que morremos com Cristo (Cl 2.11,12,20), ressuscitamos com Ele (Cl 2.12,12; 3.1), estaremos juntamente com Ele em Seu retorno (Cl 3.4; 1Jo 3.2) e nEle fomos despidos do velho homem (Cl 3.9) e revestidos do novo homem, da nova humanidade (Cl 3.10) como já mencionamos. O discípulo de Jesus verdadeiramente tem nessa união com seu Mestre a possibilidade concreta  de viver todos os dias de maneira santa e agradável a Ele.

Unido com Cristo. Quão maravilhoso é. Unido de tal forma que vou pensar como Ele pensa (1Co 2.16), andar como Ele andou (Cl 2.6; 1Jo 2.6), ser manso e humilde como Ele é (Mt 11.28-30) realizar as obras que Ele determinou (a Grande Comissão, Mt 28.19,20; Mc 16.15-18; At 1.8). Vivendo e agindo dessa maneira, cada vez mais será firme nosso testemunho e mais profunda será nossa identificação com o Senhor Jesus.

É inconcebível a figura do assim chamado cristão que não tem uma vida regular de oração, não lê e nem medita nas Sagradas Escrituras e não imita a Cristo em seu cotidiano. Se quisermos que a alegria de Jesus permaneça em nós (Jo 15.11), deveremos então obedecer a tudo o que Ele nos ordena. Se assim não fizermos, ficaremos num estado lastímável, espiritualmente falando e desonraremos Aquele que por nós morreu e ressuscitou.

União é comunhão. E se dissermos que temos comunhão com Ele mas, lamentavelmente andarmos nas trevas, andarmos em desobediência, estaremos mentindo (1Jo 1.6). O discípulo de Jesus por estar em união com Ele, forçosamente está na luz e anda na luz. E tem comunhão não só com o Senhor, mas também com todos que professam o Seu Nome sabendo também que o sangue de Jesus Cristo lhe purifica de todo pecado (1Jo 1.7).

Vale a pena considerar tudo isso que você, discípulo de Jesus, acabou de ler. Vale a pena se abster das obras infrutíferas das trevas, porque o Senhor deseja que produzamos frutos de justiça como consequência natural de nossa união com Ele. Jesus disse que sem Ele nós nada poderíamos fazer (Jo 15.5) e disse assim também: "Meu Pai é glorificado nisto: em que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos" (Jo 15.8 Almeida Séc. 21).  

A frutificação saudável só acontecerá na vida do discípulo se ele estiver unido à videira verdadeira (Jo 15.5, 16).

Que o Senhor nos ajude. Que Ele, através do Espírito Santo nos ajude a estarmos mais e mais unidos e firmes em Sua Pessoa. Que nosso discipulado seja assim então, maravilhosamente pleno na unidade com o Filho de Deus. E também unidos uns aos outros porque somos membros de Seu Corpo, a Igreja (1Co 12.12-31).

Que assim seja para a glória maior de Deus Pai. 

Nenhum comentário:

O Discípulo e as Bênçãos da Salvação

Das muitas, inumeráveis e abundantes reflexões que a Palavra de Deus proporciona a todos nós, discípulos de Cristo, está o que concerne...