sábado, 5 de dezembro de 2009

Embora discípulos, podemos ainda pecar


Sim, e é bom que de uma vez para sempre vivamos com esta consciência para que possamos escapar incólumes das tentações que de um jeito ou de outro vamos sendo alvo.

A intenção primordial do Inimigo é de que caiamos. Não uma, mas vezes seguidas. E ele se empenhará nisto e tudo fará em prol disto. E não poupa munição em se tratando de manter um seguidor de Cristo caído, prostrado, inoperante, acabrunhado, totalmente anulado em sua fé e em sua vida pró-Evangelho.

Pecamos porque, embora redimidos, nosso coração é por natureza mau. Foi o próprio Jesus quem declarou esta verdade (Mt 15 e Mc 7). E, com toda franqueza, não podemos admitir que não sejamos assim porque desde criança, o ser humano inclina-se para a maldade (Pv 22.15). As palavras do apóstolo Paulo em Romanos 7 reforçam o argumento: "Porque eu sei que em mim, isto é na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço. Ora, se eu faço o que não quero, já não faço eu, mas o pecado que habita em mim. Acho então esta lei em mim, que, quando quero fazer o bem, o mal está comigo" (vs. 18-21).

Em nossa cotidiana caminhada com o Senhor Jesus, necessário é que o busquemos, que estejamos sempre em obediência à Sua Palavra. Ele disse: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade o espírito está pronto, mas a carne é fraca" (Mt 26.41). Seguindo a Jesus bem de perto, podemos com a ajuda do Espírito Santo, prosseguir numa vida de vitória contra a carne (Rm 8). O discipulado genuíno não nega as fraquezas, não faz vista grossa aos seus erros, não vive tentando negar o óbvio.

Na verdade, o discipulado caracteriza-se como sendo genuíno, quando o discípulo conscientiza-se a cada momento de que seu dever é aprender a ser como Jesus é. Se não for assim, se não acontece desta forma, não há discipulado cristão genuíno, porque sua realização plena se dá quando me proponho a aprender a ser como Jesus, sob a direção do Espírito Santo.

Irmãos, todos nós temos dificuldades em nossa vida cristã. Creio que é possível vitória em todas as lutas porque o Senhor não permite que sejamos tentados além do que podemos suportar (1Co 10.13). O propósito de Deus em permitir tentações, do mundo, da carne e do diabo, é para que as vençamos e cresçamos assim em santidade. Tiago nos diz assim: "Meus irmãos, considerai motivo de grande alegria o fato de passardes por várias provações, sabendo que a prova da vossa fé produz perseverança; e a perseverança deve ter ação perfeita, para que sejais aperfeiçoados e completos, sem lhes faltar coisa alguma" (Tg 1.2-4, Almeida Séc. 21).

Cuidemos portanto com nossa vida de santificação, sabedores que temos uma natureza pecaminosa, fraca e que podemos sim, mesmo seguidores do Senhor, ser atraídos e seduzidos pelo nosso próprio desejo, ou, nossa própria cobiça ou concupiscência (Tg 1.13-16). Os meios da graça ainda são a oração e a leitura e meditação nas Escrituras.

Que o Senhor te abençoe hoje e sempre, amém.

Nenhum comentário:

O Discípulo e as Bênçãos da Salvação

Das muitas, inumeráveis e abundantes reflexões que a Palavra de Deus proporciona a todos nós, discípulos de Cristo, está o que concerne...