domingo, 26 de setembro de 2010

Construindo com nobreza sua vida em Deus


O discípulo de Jesus Cristo está num processo constante de construção. A Bíblia é categórica em afirmar isto. Todo aquele que fez profissão de fé na Pessoa de Cristo, está sendo construído pelo Espírito Santo. Por isso é que o apóstolo Pedro nos fala em sua primeira epístola no capítulo 2 de que devemos desejar o leite racional não falsificado para irmos crescendo (v. 2), chegando-nos para Ele, a pedra viva, reprovada pelos homens mas para Deus, eleita e preciosa (v.4), porque nós, que o seguimos, também somos pedras vivas e, "...sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo" (v.5).

O crescimento é fundamental na vida de cada crente em Jesus. O alicerce de nossa vida é Ele mesmo: "Porque ninguém pode pôr outro fundamento além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo" (1Co 3.11). Todavia, nesta construção, e sobre este fundamento, deverão ser utilizados materiais nobres, pois trata-se da construção de um templo, de uma casa espiritual. Por isso, o apóstolo Paulo nos fala ainda em 1Co 3.12: "E, se alguém sobre este fundamento formar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha", ou seja, a relação paulina fala de materiais nobres e materiais inferiores para a referida obra.

A nobreza dos três primeiros elementos, ouro, prata e as pedras preciosas, tem o caráter inigualável da permanência. É um material que resiste ao fogo (vs 13 e 15). Ou seja, o crente deve edificar sua casa espiritual com a nobreza de uma vida verdadeiramente piedosa, em oração contínua, uma vida consagrada ao Senhor, onde lê, medita e obedece as Sagradas Escrituras, sempre procurando saber a vontade de seu Pai Celestial. Quando o fogo da perseguição vier sobre si, tribulações, angústias, como sobrevieram sobre Paulo (2Co 11.16-33), ele estará preparado e permanecerá, primeiramente porque o fundamento de seu edifício de vida é Cristo mas igualmente porque sobre este resistente alicerce, está sendo construída a casa com materiais nobilíssimos.

E no dia em que o Senhor se revelar (1Co 3.13), esse discípulo estará pronto para receber o bem-vindo de Jesus. Não ficará decepcionado. Seu galardão está garantido.

Ele, como Jesus mesmo disse em Mt 7.24-27, será semelhante ao homem prudente que edificou sua casa sobre a rocha sólida. Ouviu a palavra do Senhor e a colocou em prática. Por isso, sua casa espiritual é de uma solidez à toda prova. Açoitado sim, as intempéries da vida são em grande quantidade. Mas a Rocha em que foi edificado é a mesma pedra principal de esquina, eleita e preciosa de 1 Pe 2.6.

Portanto, meu caro irmão e como eu, igualmente, seguidor de Jesus Cristo, construa sobre esta Rocha inabalável o edifício de sua vida. Não use madeira feno e palha. Da mesma forma, não construa sobre a areia. Paulo ainda nos diz em 1Co 3.16,17 que somos o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em nós. E que se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá porque este templo é santo. Como você pode destruir o templo de Deus? Vivendo uma vida contrária aos princípios bíblicos. Andando de acordo com sua carne e pensamentos.

Qualquer construção demanda a utilização de bons materiais para que fique bem assentada a obra. E também, e o que é mais importante, o fundamento deve ser seguro. Conduza a construção de sua vida em Deus de tal forma que não faltem todos estes elementos. Mas tenha cuidado, porque mesmo que o fundamento seja Cristo, você poderá utilizar elementos de má qualidade em sua construção. Por isso é que Paulo adverte: "Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; MAS VEJA CADA UM COMO EDIFICA SOBRE ELE" (1Co 3.10).

Discípulo amado, caminhe na vereda cristã tendo o zelo de edificar sua vida em Deus somente com materiais nobres. Não economize recursos neste aspecto. A casa de Deus, Seu edifício, Seu templo, que é você, requer os melhores materiais.

Se for para você agora fazer uma "desconstrução", diante destas palavras, comece agora mesmo. O dono da obra espera o melhor nesta edificação. Não o decepcione. Mãos à obra a partir de agora com materiais de qualidade superior. Leiamos: "Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra de esquina; No qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor. No qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito" (Ef 2.20-22).

Deus abençoe sua vida continuamente.

sábado, 18 de setembro de 2010

Discípulo, cuidado com a doutrina dos saduceus e fariseus


No capítulo 16 do Evangelho de Mateus, versos 1 a 12, Jesus mais uma vez esteve em confronto com os saduceus e fariseus. E mais uma vez advertiu seus discípulos quanto aos ensinamentos daqueles. Chegaram à presença do Senhor e lhe pediram um sinal do céu (v.1). O texto diz que fizeram assim para para tentá-lo, para colocá-lo à prova. Mas o Senhor Jesus, desfez seus intentos com mais uma resposta onde denunciou-os como geração de maus e adúlteros homens e disse-lhes que o único sinal que teriam seria o sinal do profeta Jonas, a mesma resposta que dera a escribas e fariseus anteriormente (Mt 12.39,40). Assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do grande peixe, assim Jesus estaria no seio da terra.

Isto demonstra como o Senhor tinha a intenção de demonstrar o real significado de Sua vinda ao mundo, para trazer com sua morte, sepultamento e ressurreição, a redenção ao ser humano (1Co 15.1-4). Mas o que queremos destacar, para que todo o discípulo de Jesus esteja precavido, é no tocante à doutrina de saduceus e fariseus aos quais deveríamos estar atentos também nos dias de hoje.

Os saduceus caracterizavam-se como racionalistas. Não criam no sobrenatural, na existência de anjos e espíritos e nem na ressurreição dos mortos (At 23.8). Os fariseus, ao contrário, eram os "ortodoxos" do Judaísmo pois aceitavam tudo que aqueles rejeitavam. Infelizmente, foram legalistas em sua atitude perante a Torá, a Palavra de Deus, valorizando muito mais as aparências exteriores, segundo sua interpretação da Lei e rejeitando a transformação interior que o Senhor requeria.

Precisamos como seguidores de Jesus, prestar muita atenção às tendências saduceistas e farisaistas em nosso contexto. Há aqueles que menosprezam quase que por completo o agir de Deus de forma inteiramente diversa ao que acostumou-se a crer. Não aceitam a possibilidade do milagre, dizem que creem em Deus, mas procuram viver sem depender dele, visto que pouco oram, pouco o buscam. Se a fé cristã que preconizam não se encaixar no molde racionalista a que se habituaram, descartam totalmente qualquer manifestação que ofenda seus pressupostos.

De outro lado, os farisaístas apresentam inicialmente uma aparente conformidade com os oráculos de Deus. Mas logo cai a máscara da religiosidade quando relativizam o poder de Deus e absolutizam sua própria teologia. Sendo assim, prendem os incautos em suas amarras doutrinais deixando descaradamente a Palavra de Deus do lado de fora da vida daquele que deseja sinceramente seguir a Cristo.

O discípulo genuíno de Jesus Cristo deve atentar para as advertências que seu Mestre lhe deixou no NT. Discernir com bastante acuidade, contando com a ajuda do Espírito Santo para não desvirtuar-se da real vontade de Deus como está exarada nas Escrituras.

Hoje, depara-se o seguidor de Cristo com esses reais perigos. Todavia, se procurar se soltar das amarras quer seja do saduceísmo ou do farisaísmo, ao voltar-se inteiramente para a Palavra de Deus, experimentará o que Jesus mesmo disse em João 7.17: "Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, saberá se esse ensino é dele, ou se falo por mim mesmo" (Almeida Séc. 21).

Tenha cuidado pois, amado irmão e discípulo, com o fermento do saduceus e fariseus de hoje. Tenha uma postura bereana (At 17.11). Examine tudo criteriosamente à luz dos ensinamentos bíblicos. Não coma pelas mãos de outros tão somente, mas seja você mesmo um incansável perscrutador da Palavra de Deus.

Que o Senhor te abençoe muitíssimo nesta semana. Amém.

sábado, 4 de setembro de 2010

A preciosa intimidade com Deus


É simplesmente intrigante pensar em ser um discípulo de Jesus Cristo sem cultivar uma real intimidade com Ele. Na verdade, vemos um modelo nisto quando pensamos na Trindade. A comunhão trinitariana é o nosso modelo por excelência de comunhão e de intimidade. Pensamos que a Igreja deve ser a ambiência onde devemos aprender a ter intimidade horizontal, ou seja, uns com os outros e também a intimidade vertical, ou seja, nós com Deus.

Intimidade com Deus. Como precisamos almejá-la. Mais do que a intimidade conjugal. Mais do que a intimidade fraternal. Mais do que a intimidade familiar. Desfrutar desta intimidade vale mais do que todas as riquezas desta terra. A prosperidade material é como esterco, como refugo, diante da prosperidade que gozará a alma que procura ter intimidade com o Senhor Deus.

Nesta amorável comunhão, há algo que precisamos mencionar que é o conhecimento dos atributos da Pessoa Divina. Santidade, Justiça, Amor, Bondade, Longanimidade, Compaixão são alguns destes atributos. Conhecendo ao Senhor, conhecendo Seus atributos, ou seja, as qualidades de Sua Divina Pessoa, necessário é que compreendamos que isto é fundamental para a vida espiritual de todos que O servem. Estas qualidades são benfazejas para os Seus filhos. Somente na intimidade de uma comunhão plena com Ele experimentaremos estas bençãos.

Se formos íntimos de Deus, cada vez mais estaremos inclinados a adorá-lO. A alegria invadirá nossos recessos interiores. A paz que excede todo entendimento guardará nosso coração e nosso sentimento (Fp 4.7).

Discípulo de Cristo, não caminhe fora da intimidade com Deus. Você não é um solitário na vereda gloriosa do Evangelho. Você pode e deve estreitar seus laços de comunhão com o Deus vivo. Ele lhe ama. Ele quer o seu bem. Quer o melhor para você. E Ele anela ter intimidade conosco: "E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração. E serei achado de vós, diz o Senhor" (Jr 29.13,14b). É verdade que passamos por muitas tribulações. Mas o nosso Pai amoroso molda-nos, fazendo com que sejamos mais e mais parecidos com Seu Filho, muitas vezes através do forno da aflição. Ele está junto com você. Não há o que temer. Jesus mesmo disse: "E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém" (Mt 28.20b).

Uma pérola é preciosa. Um diamante muito mais ainda. Mas a preciosa intimidade com Deus sobrepuja em muito tudo o que possa haver nesta vida. Procure esta intimidade e de nada mais você precisará, até mesmo de sua própria vida.

Deus o abençoe com Sua intimidade. Amém!