terça-feira, 27 de julho de 2010

Discipulado genuíno


Uma lista para sua reflexão de como devem ser os discípulos genuínos:


Discípulos genuínos........


1-.....buscam tanto a santidade como o amor de DEUS;

2-.....vivem como JESUS;

3-.....mantém seus votos matrimoniais e consideram os filhos mais importantes que suas carreiras;

4-.....buscam diariamente uma renovação espiritual e vivem no poder do ESPÍRITO;

5-.....esforçam-se para fazer da Igreja um pequeno retrato de como será o céu;

6-.....amam a pessoa como um todo, como o fez JESUS;

7-.....lamentam as divisões que ocorrem nas igrejas e acolhem todos aqueles que confessam JESUS como SENHOR e SALVADOR;

8-.....reconhecem que JESUS é o SENHOR da política e da economia;

9-.....compartilham da preocupação especial de DEUS pelos pobres;

10-.....zelam pela criação e louvam o Criador;

11-.....dedicam-se ao serviço.

(adaptado)



Se é assim que o meu amado irmão já está vivendo, eu glorifico a Deus por sua vida. Todavia, se ainda não é assim, há tempo para que você seja um discípulo genuíno de Jesus. Há tempo para ser alguém diferente neste mundo que precisa ouvir e ver como vivem os que foram transformados pelo poder do Evangelho. Para insuflar esperanças nos corações, para iluminar as trevas nos recônditos das almas e nas vidas dos que estão longe de Deus.

Seja um discípulo genuíno. Seja um discípulo verdadeiro. Deus continua a esperar que você seja assim. Jesus disse que nós somos o sal da terra e a luz do mundo (Mt 5.13-16). É necessário que este sal não perca o sabor e que esta luz esteja posta em lugares que iluminem a todos.

Seja assim portanto, em o Nome de Jesus, amém!

domingo, 18 de julho de 2010

O discípulo e a vigilância em todas as coisas


Devemos considerar com seriedade máxima e ponderar em oração, as recomendações da Palavra de Deus sobre a vigilância. Vejamos algumas dessas passagens:

Mateus 24.42,43: “Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso senhor.”

25.13: “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir.”

Marcos 13.32-37: “Mas, daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai. Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo. É como se um homem, partindo para fora da terra, deixasse a sua casa, e desse autoridade aos seus servos, e a cada um a sua obra, e mandasse ao porteiro que vigiasse. Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã, para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo. E as coisas que vos digo, digo-as a todos: Vigiai.”

Lucas 21.36: “Vigiai, pois, em todo o tempo, orando, para que sejais havidos por dignos de evitar todas estas coisas que hão de acontecer, e estar em pé diante do Filho do homem.”

Apocalipse 16.15: “Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia, e guarda as suas roupas, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas.”

Nestas passagens, Jesus mesmo é quem nos exorta à vigilância em relação ao seu breve retorno. Como discípulos seus, devemos ansiar por este encontro, onde para sempre estaremos com o Senhor (1 Ts 4.17). O discípulo de Cristo deve encontrar-se em prontidão. Cuidando como vive sua vida para que o dia de Cristo não o surpreenda. Vendo a cada dia e ponderando os acontecimentos ao seu redor. Um olho na Bíblia e outro nos noticiários. Confirmando o que Jesus disse que “…quando estas coisas (guerras, catástrofes naturais, incremento da maldade, etc) começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças porque a vossa redenção está próxima” (Lc 21.28).

Outras passagens que devemos ponderar acerca da vigilância:

Mateus 26.41 (Mc 14.38): “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.”

Atos 20.31: “Portanto, vigiai, lembrando-vos de que durante três anos, não cessei, noite e dia, de admoestar com lágrimas a cada um de vós.”

1 Coríntios 16.13: “Vigiai, estai firmes na fé, portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos.”

1 Tessalonicenses 5.6: “Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrios.”

1 Pedro 4.7: “E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração.”

5.8: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.”

Nestas outras recomendações, a vigilância está relacionada com a sobriedade que devemos ter na vida cristã. Ser sóbrio é ser moderado. É ser temperante. A vigilância com os apelos de nossa natureza carnal (Gl 5.16-21), a vigilância com o que vem do mundo (1 Jo 2.15-17), a vigilância com as sutilezas de Satanás (2 Co 2.10,11; 1 Pe 5.8). O cuidado com nossa vida de oração, o fortalecimento que provém da Palavra de Deus e da comunhão com outros discípulos de Cristo. Tudo isto deverá ser seriamente considerado por cada um que segue a Cristo. Prudência na maneira como vivemos, procurando em tudo agradar ao Senhor (2 Co 5.9) e empenhando-se em dar um bom testemunho (1 Tm 3.7), deverá ser nossa prioridade.

Assim, considere como você tem vivido sua vida presente. Você tem vigiado, cuidando diligentemente com o todo de sua vida? Você tem vigiado, procurando viver uma vida santa, agradável a Deus e assim estando pronto para quando Jesus vier lhe buscar?

Discípulo de Jesus considere a recomendação da Palavra de Deus: Vigie, esteja alerta. Jesus breve vem. Você está vigiando, pronto para encontrar-se com Ele?

Que o Senhor te abençoe e te guarde; que o Senhor faça resplandecer o Seu rosto sobre ti e tenha misericórdia de ti; que o Senhor sobre ti levante o Seu rosto e te dê a paz (Nm 6.24-26).

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Reflexões sobre a final da Copa do Mundo.....


A Copa do Mundo de Futebol 2010 ganha pela seleção da Espanha, nos ensinou a lição de que nem sempre quem começa mal, necessariamente termina mal, tanto quanto seu oposto, quem começa bem e continua bem pode terminar mal. Foi isto exatamente o que aconteceu com a seleção espanhola: um começo decepcionante, perdendo seu jogo de estréia, mas foi recuperando-se bem no decorrer da competição e terminou campeã do mundo ao ganhar de 1x0 da Holanda na prorrogação.

A seleção holandesa ganhou todos os jogos que disputou (inclusive de nossa seleção, não nos esqueçamos) mas na grande final, perde o prêmio maior, esta era justamente a partida que não deveria perder. A Holanda já estava invicta há vários jogos, muito antes da Copa, sendo uma equipe forte e muito bem estruturada. Continuará estigmatizada como a equipe "campeã em vice-campeonatos!"

Que poderemos extrair de lições para a nossa vida ? Quais são as lições para o nosso discipulado cristão? Em primeiro lugar, PODEMOS NÃO COMEÇAR MUITO BEM NOSSA TRAJETÓRIA DE VIDA CRISTÃ, VACILARMOS NA SEQUÊNCIA, MAS É MUITO MAIS IMPORTANTE E PERFEITAMENTE POSSÍVEL TRIUNFARMOS NO FINAL. A Espanha começou cambaleante, mais foi-se firmando aos poucos com um bonito e eficiente futebol. Alcançou o prêmio maior e mais importante, a Copa do Mundo 2010, no jogo derradeiro, vencendo uma seleção que estava invicta há 25 jogos. O crente pode ter vários revezes em sua vida com Jesus. Ser discípulo implica em renúncia pessoal e em levar a própria cruz a cada dia, seguindo ao Senhor em piedosa radicalidade. De fato, após muitas idas e vindas na prática do pecado, muitas frustrações, muitas quedas, muitas vacilações, ele, o discípulo de Jesus, finalmente se firma com a ajuda do Espírito Santo (Rm 8.11; Fp 1.6). E poderoso é o Senhor para fazer com que termine bem sua carreira (1 Ts 5.23; 2 Tm 4.7,8).

Em segundo lugar, PODEMOS TER UMA TRAJETÓRIA FULGURANTE, VITORIOSA, IMPECÁVEL E JUSTAMENTE NO MOMENTO MAIS DECISIVO, MAIS IMPORTANTE, DEIXARMOS ESCAPAR A VITÓRIA. Muitos seguidores de Jesus, assim como fez a seleção de futebol holandesa, podem começar muito bem, ter uma vida vitoriosa, brilhante, coroada de êxito, contudo, ao final, descuidam-se e capitulam diante de um ou de todos os seus inimigos: o mundo, a carne e o diabo. O profeta Ezequiel no cap. 18 verso 24 de seu livro escreve assim: "Mas, desviando-se o justo da sua justiça e praticando o mal, fazendo conforme todas as abominações que o ímpio faz, por acaso viverá? Não se terá lembrança de toda justiça que houver feito; morrerá por ser infiel e pelo pecado que cometeu" (Almeida Séc. 21). O cuidado, o zelo, a persistência em observar com acuracidade a vontade do Senhor como se encontra na Bíblia, a vigilância e a oração constante para não cair em tentação, o congregar-se com outros irmãos, tudo isto deverá constituir-se em prática constante em nossa vida diária.

A formação espiritual de um discípulo de Cristo é importante demais para ser tratada como coisa de somenos importância. Cuidemos de valorizar o que realmente importa. O apóstolo Pedro assim nos fala: "Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis" (2 Pe 1.10). Perseveremos pois em sermos discípulos de fato de Nosso Senhor Jesus Cristo desde o começo de nossa carreira cristã, todavia, se vacilarmos, que fique bem claro de que o desejo de Deus é que nos arrependamos (Is 1.16,17) e continuemos firmes na fé, pois em Jesus Cristo somos mais do que vencedores (Rm 8.37 ). As seleções de futebol lutaram por um prêmio perecível, efêmero, limitado a esta terra, nós porém, arduamente lutamos por um prêmio que terá valor eterno e imutável.

Querido irmão, que você possa refletir sobre isso nesta semana, seja um discípulo fiel, em O Nome de Jesus, amém!

domingo, 4 de julho de 2010

A misericórdia de Deus e o nosso pecado



Uma dos aspectos mais maravilhosos do caráter de Deus refere-se à Sua misericórdia em relação ao fato de sermos miseráveis pecadores. Na caminhada de nosso discipulado com Jesus, aprendendo d’Ele a cada dia, muitos serão nossos erros e pecados cometidos. É nesta hora mais do que qualquer outra que experimentaremos como é grande o amor de Deus para conosco.

Uma coisa é certa: Deus nos ama com amor incondicional. Ele nos resgatou do precipício da impiedade em que vivíamos e hoje podemos adorá-lo em Espírito e em verdade (Jo 4.24). Podemos serví-lo na liberdade do Espírito Santo (2 Co 3.17). Somos seus seguidores e imitadores. Assim, há toda uma atmosfera santa a nos rodear, há toda uma ambiência de piedade pairando sobre nossa vida. Mas nós mesmos podemos macular esta santidade. Nós mesmos temos o maldito dom de tudo estragar.

O caminho do discipulado, como já tivemos oportunidade de aqui expressar, de fato não é um caminho fácil. É muito árduo. Exatamente porque lutamos contra nossa natureza pecaminosa, nossa carne e se assim não fora, o apóstolo João não teria dito: Meus filhinhos, estas coisas vos escrevo para que não pequeis; e, SE ALGUÉM PECAR, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo” (1 Jo 2.1). Podemos sim pecar, estamos sujeitos à faculdade do erro. Paulo também disse: Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço” (Rm 7.19). É notória portanto a nossa capacidade para o erro, mesmo depois de termos nascido de novo.

Nunca nos esqueçamos que Deus é santo e não compactua com o pecado. Pedro é quem nos ensina: Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo” (1 Pe 1.15,16). Santidade para servimos a Deus agradavelmente é exigida do discípulo de Cristo. Disto Deus não abre mão. É impossível serví-lo sem ser separado para Ele, ou seja, sem ser santo.

Assim, fica patente a responsabilidade de nossa vocação diante do Pai, porque nos chama Ele a um compromisso de santidade. Em nosso cotidiano devemos aplicar o ensino de Paulo como está registrado em Fp 2.12b: ….assim também operai a vossa salvação com temor e tremor.” O que fica patente aqui é o cuidado no todo de nossa vida. Somos discípulos do Rei do Universo e é imprescindível este zelo em tudo para que O agrademos.

Mas contamos igualmente com Sua misericórdia e amor para com nossa fraqueza. Contamos com aquele que em Seu ministério terreno, nunca deixou de atender a todos que O procuravam, Ele é Aquele que olhou para as multidões e teve compaixão delas porque andavam cansadas e desgarradas e eram como ovelhas que não têm pastor (Mt 9.36). Ele é Aquele que não esmaga a cana quebrada nem apaga o pavio que fumega (Is 42.3). Ou seja, mesmo em nossos erros, mesmo quando nos revolvemos na lama de nossos pecados, é misericordioso o Senhor e suficientemente Poderoso para nos resgatar, lavar e purificar novamente, ….e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 Jo 1.7b).

Meu amado irmão, discípulo de Jesus assim como eu mesmo, não fique prostrado pelo caminho. Se você errou, clame pela misericórdia de Deus, e Ele estará sempre pronto para continuar a trabalhar em sua vida. Deus não rejeita nunca todos que se voltam para Ele rogando por Sua graça. Ele te ama. O Seu Santo Espírito continuará Sua obra poderosa, aperfeiçoando-o e moldando-o sempre todos os dias, até aquele grande Dia (Fp 1.6). Experimente isso hoje, é o meu desejo e minha oração em o Nome de Jesus, amém!