quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

O discípulo e a batalha espiritual


Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (1Pe 5.8)

É imprescindível haver discernimento em todos os discípulos de Jesus Cristo acerca da ação de Satanás em nosssas vidas. Se estou em Cristo, estou em guerra contra o diabo e suas hostes conforme Ef 6. Não existe vida cristã sem luta e luta espiritual. O texto de 1 Pedro diz que o nosso adversário anda em nosso derredor à busca de algum filho de Deus desprevenido para que possa tragá-lo. Pode de fato este ataque ocorrer à nossa vida, nós que já estamos em Cristo, que já passamos da morte para a vida? Sim, e podemos ser fragorosamente derrotados se não vivermos a vida cristã de forma sóbria, isto é, de maneira comedida, moderada, temperada e estando a vigiar de contínuo.

A sobriedade e a vigilância são requeridas nesta luta bem como a resistência na fé conforme o verso 9. O inimigo age em cima de nossas fraquezas assim como um boxeador que explora os pontos fracos de seu oponente para tentar levá-lo a nocaute e vencer a luta. Sofremos os ataques do Maligno porque temos uma natureza pecaminosa e fraca onde nossos pontos de fraqueza são conhecidos pelo diabo e assim somos atacados exatamente nestes contatos porque Satanás sabe que assim pode alcançar vantagem sobre nós.

Paulo informa em no capítulo 2 de 2 aos Coríntios de que a igreja em Corinto deveria demonstrar uma disposição para perdoar o irmão faltoso e não só isso mas deveria consolá-lo também para que o mesmo não fosse consumido de excessiva tristeza, insistindo ainda Paulo para que o amor de todos fosse confirmado para com aquele irmão. E ele próprio, também o perdoava, vs 10. Em seguida, Paulo dá uma informação preciosa: Satanás pode alcançar vantagem sobre nós. Isto poderia acontecer se não houvesse disposição para o perdoar, consolar e amar. Além de tudo, Paulo expressou no vs 11 de que não ignorava os ardis, as artimanhas, as sutilezas do Maligno.

Em nossa vida de discipulado, convém que lembremos sempre de andar junto do Senhor (Jo 15.1-8). Convém que demos muito fruto, porque Deus será glorificado e assim seremos considerados discípulos de Cristo. Satanás e suas hostes conspiram contra os filhos de Deus para torná-los infrutíferos, ou que não produzam frutos de justiça. Somos diferentes daqueles que ainda permanecem em seus pecados. Portanto, o Senhor espera que estejamos caminhando por Seus retos caminhos porque a luta continuará até o dia de Sua vinda. O espírito anticristão de oposição ao Evangelho e à Igreja aumenta a cada dia em nossa sociedade.

Certa é que a vitória está garantida por Jesus Cristo através de Seu sacrifício na cruz (Cl 2.15). João disse: Filhinhos, sois de Deus, e já o tendes vencido (o espírito do anticristo, vs 3); porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo” (1Jo 4.4). E ainda: “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?” (1Jo 5.4,5).

Não resta então outra alternativa, devemos nos conscientizar da realidade dos embates espirituais. Se assim não fosse, o Espírito Santo não inspiraria Paulo para que nos dissesse no verso 12 de que nossa luta não é contra seres humanos. O diabo e os demônios infligem ataques contínuos contra a Igreja e os cristãos.

Lembrando sempre de que esta luta é espiritual e, portanto, temos armas espirituais poderosas de Deus a nosso dispor, 2 Co 10.4,5; Ef 6.14-18.

Que o Senhor dos Exércitos te fortaleça sobremaneira. Não desanime, porque o Poderoso de Jacó é contigo. Amém.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Lugares…e a bondade de Deus para o homem

Exibir b

Imagino como Deus tem, através de suas dádivas concedidas ao homem, como por exemplo, lugares maravilhosos em toda esta terra, uma disposição contínua em querer o bem da coroa de sua criação. Deus ama o ser humano e proporcionou-lhe todas as condições para que pudesse viver bem, desenvolver seu potencial, crescer em comunhão e em santidade diante d’Ele. Mas o homem, através de Adão, não teve a competência para continuar a usufruir da maravilhosa vida que lhe era proporcionada.
Exibir d

Assim, a relação com o Criador foi quebrada. Mas o Senhor, de forma maravilhosa e incompreensível, continuou a nos amar. Sendo Deus quem é, jamais deixaria o ser que Ele criara à sua imagem e semelhança, entregue aos próprios resultados de sua escolha errada. Deus já dispunha de uma alternativa para a rebeldia que o primeiro casal demonstrara e que afetaria toda sua descendência.
Exibir e

Está escrito na Palavra de Deus: Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bençãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” (Ef 1.3). Estamos contemplando imagens belas de alguns lugares na terra. Sabemos que Deus em Sua bondade, mostra-se aprazível ao homem. Mas o homem pecou e Jesus Cristo foi enviado para que este pudesse novamente estar em posição favorável diante d’Aquele que o criara. Assim, todos os que aceitam a dádiva do Evangelho, são abençoados com bençãos espirituais. E isto nos lugares celestiais em Cristo. Isto significa que eu e você temos hoje um privilégio muito maior, uma demonstração muito mais excelente, do amor e da bondade de Deus. As pessoas que não conhecem a Jesus, deslumbram-se e até idolatram a criação ao seu redor. Mas nós, que conhecemos ao Senhor, temos a segurança dos lugares celestiais. No Éden, Adão e Eva tinham um ambiente perfeito e seguro. Tudo o que precisavam foi proporcionado ali pelo Criador. Nada lhes faltava. E tinham ainda a presença constante do Senhor que ali os visitava todos os dias. O crente em Cristo possui uma ambiência semelhante, espiritualmente falando, onde encontra segurança, abrigo e o desfrute da comunhão constante com o Senhor. Está, se permanecer em obediência à Palavra de Deus, abrigado do mundo, possui uma nova natureza onde se deleita em fazer a vontade do Pai, repudiando assim o que é próprio de sua natureza carnal e decaída e também, os lugares celestiais em Cristo Jesus são o esconderijo do Altíssimo, o descanso do Onipotente, o seu refúgio, sua fortaleza, sua habitação, onde as hostes espirituais da maldade não podem alcançá-lo (Sl 91; Ef 6.12). Há uma luta, é verdade, mas o Senhor é o seu alto retiro (Sl 91.14).

Amado discípulo do Senhor, não existe lugar mais seguro e mais belo e perfeito do que acabamos de descrever. Existem lugares belíssimos neste planeta. Estes satisfazem nossos sentidos. Mas a satisfação, a paz e descanso verdadeiros, somente com as bençãos espirituais do Evangelho e nos lugares celestiais em Cristo.

Portanto, fique neste lugar, não o troque por nenhum outro. Que assim seja, amém.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Contatos imediatos para crescer em Cristo


No mundo, as pessoas procuram umas às outras porque o ser humano é gregário por natureza. Aprecia-se naturalmente o contato com o outro porque de alguma forma, sabemos que isto nos beneficia, nos completa e nos caracteriza enquanto homens e mulheres. Como crentes em Cristo, muito a Bíblia tem a dizer sobre esta característica implementada por Deus em cada um de nós. Enquanto no mundo, os relacionamentos, embora procurados, embora almejados, tem na efemeridade muitas vezes sua marca essencial. O homem, porque é pecador, é também um individualista porque é egocêntrico. E os relacionamentos com isso tendem a ser conflitivos.

Isto também perpassa na Igreja. Não somos tão diferentes do mundo nestes aspectos. O fato de termos aceitado a Jesus Cristo como nosso Senhor e Salvador pessoal, não faz com que automaticamente sejamos curados de nossas muitas ambiguidades e falhas de caráter. Mas é exatamente no Evangelho que encontramos a cura substancial dessas mazelas de nossa alma. E essa cura passa por relacionamentos saudáveis, verdadeiros e duradouros.

Esse tipo de relacionamento é terapêutico para a alma humana porque, estando em Cristo, há a ação benigna do Espírito Santo em cada um de nós (Fp 1.6). Os contatos imediatos a que me referi no título, referem-se a termos uma vida cristã pautada pelo cultivo pleno de relacionamentos, interagindo uns com os outros e isto desde o início de nossa caminhada na fé cristã. Cristãos há que, só depois de muito tempo, quando o fazem, é que procuram caminhar na companhia de outros igualmente discípulos como ele. Penso que não é assim que Deus intentou que andássemos.

Vejo como modelar, a vida de Jesus em companhia dos doze. Durante três anos, houve um contato contínuo entre Mestre e discípulos. O Senhor deu atenção individual a cada um, não só na chamada como no discipulado que se seguiu. Veja algumas características indesejáveis que haviam naqueles discípulos posto que eram humanos como nós. Eles eram:

1.Imaturos
2.Impulsivos
3.Pecadores
4.Perplexos
5.Ignorantes
6.Cheios de Preconceitos
7.Instáveis

Você consegue se ver em algumas destas características? Eu consigo. Me vejo plenamente porque somos todos iguais. Por isso, a Palavra de Deus fala assim em Pv 27.17: "Como o ferro com ferro se aguça, assim o homem o rosto de seu amigo." Ou seja, mantendo nossos contatos com outros no Corpo de Cristo, aprendemos de fato uns com os outros. O discipulado cristão genuíno proporciona aperfeiçoamentos em nosso caráter.

Crescimento é imprescindível a todos nós. Indubitavelmente, os doze cresceram muito em seu caráter nos três anos em que estiveram sob o contato imediato de Jesus. Judas, mesmo vindo a perder-se, certamente viu e ouviu lições maravilhosas para sua vida mas que infelizmente não encontraram espaço em seu endurecido coração.

O propósito de Deus, nunca é demais lembrar é que "seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo" (Ef 4.15). É mesmo necessário que haja uma conjugação de esforços na Igreja, sob a direção do Espírito Santo, para que o crescimento aconteça de acordo com o modelo bíblico. É inconcebível alguém vir a decidir-se por Cristo e seu crescimento posterior ficar relegado a esporádicos contatos com outros cristãos nos ambientes dos cultos, sem um planejamento da liderança para que imediatamente o neófito na fé possa já caminhar com outros com mais maturidade, para que ele por meio do exemplo, da Palavra, da ambiência, introjete a mentalidade de ser igual a Cristo.

Contatos imediatos para crescer em Cristo. Tão fundamental e ao mesmo tempo às vezes tão pouco considerado em algumas congregações cristãs. O despertamento para esta prioridade deve acontecer logo porque Deus anseia que Seus filhos sejam de fato conformes à imagem de Seu próprio Filho. A Palavra diz que somos membros uns dos outros e devemos ter cuidado uns dos outros (1 Co 12.25). Isto proporcionará nosso crescimento uniforme conforme a vontade de Deus para nós.

Que Deus abençoe você neste dia. Tenhamos contato e cuidado uns dos outros para crescermos plenamente em Cristo, amém!

O Discípulo e a Identidade de Cristo

É possível que alguém se reconheça como cristão, que deposite fé na Pessoa de Jesus Cristo, que confiou nEle como seu Único Salvador e ...